Saúde & Bem Estar

A importância do autoexame para as mulheres

Escrito por:Redação SO.U + Bem Estar |

O Dr. Fábio Arruda traz informações a respeito da importância do autoexame nas mamas e da regularidade nos exames de imagem

O autoexame, para muitas mulheres, significa uma chance maior de vencer um mal tão preocupante que é o câncer de mama. Para 2021, a previsão é que surjam 66.280 novos diagnósticos da doença, é o que afirma o Instituto Nacional de Câncer (INCA).

Pensando nisso, o mês de outubro é dedicado à prevenção e tratamento dessa doença que é a principal causa de mortes femininas entre as enfermidades relacionadas ao câncer. Para a prevenção desse mal, temos algumas medidas que são indicadas.

O autoexame das mamas é um passo bem simples que pode significar um diagnóstico precoce e assim elevar as chances de cura. Por isso, o Dr. Fábio Arruda* traz algumas informações e explicações relevantes sobre a temática. Acompanhe a leitura!

Como o autoxame auxilia no diagnóstico precoce do câncer de mama?

O autoexame é importante para mulheres de todas as idades — afinal, pessoas jovens também podem apresentar sintomas de câncer na região mamária. No entanto, é necessário pontuar que o risco torna-se maior após os 40 ou 50 anos.

Por isso, ter conhecimento das formas do próprio corpo pode ser um fator determinante para a identificação ou não de anomalias na região. Assim, o autoexame vem como uma solução para ajudar a diagnosticar a doença.

“A mama normal é uma glândula e ela tem os lóbulos mamários, que são uma espécie de caroços que fazem parte dela. Se você está habituada a perceber como é a sua mama então será possível identificar algo fora da normalidade”, explica o Dr. Fábio Arruda.

Nesse exame solo, é possível conseguir sentir nódulos com mais de 1 cm, mesmo sendo um tamanho considerável, ainda é considerado um diagnóstico precoce. Desse modo, é importante que o autoexame seja feito com uma frequência mensal.

Veja também: Outubro Rosa: um alerta para milhares de mulheres

Como fazer o autoexame?

Uma dúvida comum a muitas mulheres é sobre como fazer o autoexame. O ponto positivo é que ele pode ser conduzido de diversas formas.

No banho, por exemplo, é uma dessas alternativas. Nesse caso, é possível levantar um dos braços e deixá-lo em repouso sobre a cabeça. Com a mão livre, é possível fazer a checagem da mama — buscando sentir cada aspecto. Após isso, basta trocar de lado e seguir os mesmos passos.

Além disso, o espelho também pode servir como um grande auxiliador. Confira o passo a passo:

  1. coloque o seu corpo frente a um espelho grande para que a visualização seja completa e observe as duas mamas;
  2. observe, com os braços juntos ao corpo e sem fazer nenhum movimento
  3. procure por alterações visíveis;
  4. busque por secreções;
  5. siga as dicas do autoexame durante o banho.

Essas orientações podem auxiliar na hora da efetivação do exame. Assim, as mulheres podem fazer essas apalpações em outros momentos em que esteja confortável, pode ser em outros lugares da casa, em outras situações, o importante é fazê-lo.  É importante fazer o exame alguns dias após a menstruação.

Veja também: Assimetria das Mamas. Mês da Escoliose

Por que fazer o autoexame?

Um dos principais pontos positivos de fazer o autoexame está em identificar a doença mais cedo. Dessa forma, é possível aumentar as chances de cura. A doença pode ser motivada por fatores hereditários e que fogem do controle pessoal de cada indivíduo..

No entanto, algumas medidas de saúde podem impactar positivamente no corpo da mulher. Segundo o INCA, existem formas de ajudar na prevenção de uma patologia dessa natureza. São eles:

  • realizar atividades físicas regularmente;
  • ter uma alimentação regrada e saudável;
  • focar na diminuição dos níveis de gordura no corpo;
  • evitar ou buscar uma redução no consumo de bebidas alcoólicas

O autoexame da mama é bem simples e pode ser feito a qualquer momento. Conhecer o próprio corpo desde o início dos crescimento das mamas na adolescência é algo fundamental. Assim, a frequência deve ser de, pelo menos, uma vez ao mês.

Essas medidas podem ser uma aliada a mais na hora de evitar uma doença mas, segundo o médico, “O que é mais importante é o diagnóstico precoce”, afirma ele. No entanto, também é importante fazer exames de imagem de forma regular.

Veja também: Conheça alguns alimentos que podem fortalecer a imunidade

Quais os exames para diagnóstico do câncer de mama?

Além do autoexame, também devem ser feitos exames em aparelhos específicos com um médico especializado. Nesses procedimentos é possível identificar pequenas modificações que não são perceptíveis no autoexame.

Segundo o Dr. Fábio Arruda, com exames específicos é possível diagnosticar microcalcificações, que são milimétricas, em um exame de rotina. “E esse é o melhor cenário para cura, chegando próximo a 100% de chance”, destaca.

A seguir, confira a lista de exames de rotina que podem ajudar a combater esse mal desde as primeiras aparições:

  • mamografia (esta deve ser feita regularmente após os 40 anos);
  • ultrassom;
  • ressonância magnética (sendo solicitada apenas para casos específicos).

Quando procurar um profissional?

Além do autoexame, existem formas de fazer o diagnóstico da doença de forma mais precoce e com o olhar de um especialista. “O autoexame é uma ferramenta importante para a mulher se conhecer, perceber diferenças ou algo fora do padrão no corpo dela. Mas a gente tem que ter cuidado de não disseminar o autoexame como uma ferramenta ideal ou principal para esse diagnóstico precoce”, salienta o Dr. Fábio Arruda.

Por isso, é fundamental buscar um direcionamento para consultórios após o exame feito em casa. “No consultório, as mulheres apresentam uma queixa que apalparam um nódulo, um caroço ou alguma alteração. Algumas vezes isso pode ser um câncer de mama, mas também pode ser um cisto ou um nódulo benigno”, contextualiza o médico.

Desse modo, o mês de prevenção ao câncer de mama serve de alerta para mulheres, e homens, a respeito de uma doença silenciosa e, muitas vezes, fatal. Por isso, o autoexame é importante, mas não deve ser o único meio de prevenção. Manter os exames de imagem em dia pode ser um fator determinante na hora de identificar uma anomalia e combatê-la.

 

*Dr. Fábio Augusto Arruda de Oliveira – Médico Especialista em Ginecologia, Obstetrícia (TEGO) e Mastologia (TEMA). Mestre em Ciências da saúde pelo Instituto de Ensino e Pesquisa(IEP) do Hospital Sírio Libanês(2019). Atualmente médico titular do Núcleo de Mastologia do Hospital Sírio-Libanês. Clínica Dr Fábio Oliveira +55 11 99404-7434 | ‎fabiomastologia@gmail.com | Rua Dona Adma Jafet,115\r\nNucleo De Medicina Avançada- 4• Andar Bloco E São Paulo SP 01308-050 Brasil

Sobre o autor

Portal de Notícias sobre esporte, saúde, e bem-estar. Uma fonte de Informações a partir de pesquisas científicas nas áreas de ortopedia, medicina esportiva, fisioterapia e tratamentos coadjuvantes.

Dúvidas e Comentários

Espaço para que você possa deixar suas dúvidas e comentários, que serão respondidas pelos nossos Especialistas.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Artroscopia de Quadril: entenda o que a técnica cirúrgica pode tratar

Neste artigo, o Dr. Leandro Ejnisman, especialista em ortopedia e traumatologia, esclarece as principais dúvidas a respeito desse método inovador

Leia mais

Os benefícios da prática de natação pós Covid-19

A Dra. Giovanna Sperandio discorre a respeito desse assunto

Leia mais

Maio Amarelo: prevenção é a palavra-chave

Os médicos ortopedistas Dr. Pedro Baches Jorge e Dr. Bruno Takasaki Lee falam a respeito da prevenção de lesões causadas por má-postura ao volante

Leia mais