Saúde & Bem Estar

A vida depois do marca-passo

Escrito por:Redação SO.U + Bem Estar |

O cirurgião cardíaco, Dr. Daniel Bartholo Hyppolito, traz informações a respeito do implante de marca-passo e a vida após o procedimento.

O marca-passo é um dispositivo revolucionário que regula batimentos cardíacos e monitora-os. O Departamento de Estimulação Cardíaca Artificial (DECA), que é integrado à Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular (SBCCV), afirma que no Brasil existam mais de 300 mil pessoas convivendo com o aparelho implantado.

Ainda segundo o levantamento do DECA, todos os anos, cerca de 49 mil dispositivos são anexados. Por conta disso, o número de implantados cresce todos os anos. O Censo Mundial de Marca-passo e Desfibriladores afirma que, no Brasil, existe um volume de 199 implantações de marca-passo por milhão de brasileiros.

Com esse cenário é importante ajudar a entender o funcionamento de um dispositivo tão completo, quais são as suas especificidades e como conviver de forma saudável com esse aparelho.

Para falar um pouco a respeito desse assunto, o médico que é especialista em Cirurgia Cardiovascular e Estimulação Cardíaca Artificial, Daniel Bartholo Hyppolito, vai trazer algumas informações a respeito da vida dos pacientes após o marca-passo.  Acompanhe a leitura!

Quais são os casos indicados para o implante de marca-passo?

De acordo com o Dr. Daniel Bartholo Hyppolito, a maioria dos casos em que se faz necessário um implante de marca-passo deve-se a bradiarritmias, “Essas são as arritmias caracterizadas por uma frequência cardíaca baixa, também conhecido como batimento cardíaco lento”.

A bradiarritmia pode ser decorrente do envelhecimento do sistema de condução elétrica do coração mas também existem outras causas, acompanhe a lista a seguir:

  • utilização de medicamentos que possuem efeito negativo sob a frequência cardíaca;
  • anomalias na tireoide;
  • intoxicação por remédios;
  • infarto;
  • doenças inflamatórias e degenerativas com ação concentrada na região cardíaca;
  • malformação cardíaca fetal.

“Causas menos frequentes são alguns pacientes que tiveram parada cardíaca ou que têm risco aumentado de parada cardíaca, além de casos selecionados para tratamento de insuficiência cardíaca”, comenta o especialista.

Quais são as recomendações após a implantação do marca-passo?

“A vida do portador de marca-passo é normal, praticamente igual à sua vida antes de receber o marca-passo”, comenta o Dr. Daniel Bartholo Hyppolito. O dispositivo é feito para gerar uma melhora no paciente, não piorá-la. Ou seja, praticamente tudo que você fazia antes do implante poderá continuar da mesma forma, só com algumas recomendações.

Como em todas as cirurgias, principalmente as cardíacas, existem algumas recomendações expressas para os dias, meses e anos que seguem após o procedimento. O Dr. Hyppolito deixa algumas recomendações para os recém chegados:

  • nas primeiras semanas deve-se evitar movimentos bruscos e esforço com os braços, essa recomendação previne sangramentos e desposicionamentos dos componentes;
  • seguir o plano de consultas estabelecidos pelo seu médico;
  • durante todo o restante da vida, é necessário evitar campos magnéticos e correntes elétricas, pois podem causar interferência no funcionamento do dispositivo.

A prática de esportes e exercícios físicos deverá ser avaliada de forma individual pelo cirurgião responsável pela sua implantação e acompanhamento. Mas, de maneira generalista, é possível voltar à prática de atividades físicas.

Afinal, a movimentação benéfica do corpo faz parte das recomendações para prevenir possíveis doenças cardiovasculares e promover a saúde corporal.

Mas é necessário ficar atento para não praticar atividades que ponham em risco de impacto o aparelho e seus componentes. “Atividades com risco de traumatismo local, como lutas ou esportes de contato, podem causar dano direto ao aparelho”, salienta o médico.

A retomada da rotina pessoal pode ser feita de forma quase instantânea para algumas atividades, tais como:

  • andar;
  • subir escadas;
  • tomar banho;
  • comer;
  • se vestir;
  • escrever;
  • ler;
  • utilizar computador.

As listadas acima podem ser realizadas no dia seguinte à cirurgia de implantação do marca-passo. Mas é necessário ter cautela na hora de exercer outros aspectos da sua rotina normal. “Para atividades, como dirigir, tarefas em casa ou atividades esportivas, deve-se esperar de duas a quatro semanas”, conforme afirma o Dr. Daniel Bartholo Hyppolito.

Quais são as dúvidas mais frequentes dos pacientes após a implantação?

Apesar da estimulação do coração ser mais antiga, os marcapassos definitivos implantáveis só passaram a ser usados em 1958, e ainda gera muitas dúvidas em pacientes e familiares. Por exemplo, o uso do celular interfere no funcionamento do dispositivo? É possível passar por detectores de metais em aeroportos e afins? Como ter uma vida normal após o implante?

A seguir, o Dr. Daniel Bartholo Hyppolito lista algumas dúvidas frequentes que são encontradas no consultório.

  • Existe alguma restrição medicamentosa?

Não há nenhuma contraindicação para o uso de medicamentos

  • Quais são os tipos de alimentos que devem ser ingeridos?

Não existe nenhuma restrição alimentar para os pacientes que fazem uso desse dispositivo. Mas é recomendado seguir uma vida saudável para cada indivíduo.

  • Quanto tempo dura o marca-passo implantado?

O marca-passo tem uma bateria que vai durar alguns anos, geralmente entre 6 e 12 anos. O que vai determinar o tempo de duração é quanto cada paciente vai usar o marca-passo, pois há arritmias mais graves e menos graves.

Existe algum exame de rotina que deve ser feito para verificar o bom funcionamento do marca passo?

Para todos os portadores de marca-passo (assim como desfibrilador e ressincronizador) deve-se fazer acompanhamento regular com um especialista de Estimulação Cardíaca Artificial. Ou seja, consultas regulares conforme a indicação médica.

“As avaliações devem ser feitas, pelo menos, a cada seis meses e para o resto da vida. Além de ser necessário acompanhar o status da bateria, por ser um aparelho eletrônico, o marca-passo pode apresentar disfunções e reabordagens podem ser indicadas”, comenta Dr. Hyppolito.

Deve-se ressaltar que a problemática envolvendo os dispositivos de regulação de batimentos cardíacos, são limitados, conforme afirma o cirurgião cardíaco Dr. Hyppolito. “Os problemas relacionados à marca-passos são raros, e na maioria que o portador de marca-passo tem algum mal estar, este não está relacionado ao dispositivo, mas a outro problema clínico, como alteração da pressão arterial ou infecções, por exemplo”, finaliza o médico.

 

* Dr. Daniel Bartholo Hyppolito – Médico Especialista em Cirurgia Cardiovascular e Estimulação Cardíaca Artificial

Sobre o autor

Portal de Notícias sobre esporte, saúde, e bem-estar. Uma fonte de Informações a partir de pesquisas científicas nas áreas de ortopedia, medicina esportiva, fisioterapia e tratamentos coadjuvantes.

Dúvidas e Comentários

Espaço para que você possa deixar suas dúvidas e comentários, que serão respondidas pelos nossos Especialistas.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Artroscopia de Quadril: entenda o que a técnica cirúrgica pode tratar

Neste artigo, o Dr. Leandro Ejnisman, especialista em ortopedia e traumatologia, esclarece as principais dúvidas a respeito desse método inovador

Leia mais

Os benefícios da prática de natação pós Covid-19

A Dra. Giovanna Sperandio discorre a respeito desse assunto

Leia mais

Maio Amarelo: prevenção é a palavra-chave

Os médicos ortopedistas Dr. Pedro Baches Jorge e Dr. Bruno Takasaki Lee falam a respeito da prevenção de lesões causadas por má-postura ao volante

Leia mais