Saúde Mental

Wanessa Camargo (BBB) e a síndrome da impostora

Escrito por:Redação SO.U + Bem Estar |

5 dicas para melhorar esse problema

Se você está acompanhando o BBB 24, na certa se surpreendeu com as falas de Wanessa Camargo sobre não se sentir “o suficiente”. A cantora, relatou dentro do confinamento que no início de sua carreira sofria muito com as comparações com a Sandy. Conhecida como “síndrome da impostora”, a doença que afeta Wanessa não é incomum. Outras famosas como Bruna Marquezine, Juliette, a cantora Adele e Camila Queiroz já declararam sofrerem do mesmo problema.

A psicóloga Clenice Araújo, especialista em empresários, autora do livro “A empresa no divã” – com capítulo dedicado a síndrome do impostor em empresários, esclarece as principais dúvidas sobre o problema:

 O que é Síndrome da impostora?

R: A Síndrome da Impostora, também conhecida como Síndrome do Impostor, é um fenômeno psicológico no qual uma pessoa, apesar de conquistar sucessos e demonstrar competência, sente uma persistente dúvida em relação às suas habilidades. Indivíduos que experimentam essa síndrome tendem a acreditar que não merecem o reconhecimento que recebem e têm receio de serem expostos como “impostores” ou fraudes, mesmo quando, objetivamente, não há razões para tal autocrítica. É uma condição que pode afetar a autoestima e a confiança, muitas vezes levando à ansiedade e ao medo de ser descoberto como incompetente.

 

 Por que atinge mais as mulheres?

R: Prevalência em Mulheres: A Síndrome do Impostor não é exclusiva de um gênero, mas é frequentemente observada em mulheres devido a fatores socioculturais, como expectativas sociais e estereótipos de gênero que podem impactar a percepção de competência.

 

 Como identificar que um profissional está passando por esse problema?

R: Identificação do Problema: Para identificar se um profissional está enfrentando a Síndrome do Impostor, observe sinais como auto criticismo excessivo, constante busca por validação, medo de falhar e atribuição dos sucessos a fatores externos, não à própria competência.

Wanessa Camargo (BBB) e a síndrome da impostora

©designer491 de Getty Images via Canva.com

 Como ajudar a pessoa a lidar com esse problema?

R: Apoio e Compreensão: Ofereça um ambiente de apoio e compreensão. Encoraje a comunicação aberta, criando um espaço seguro para discutir sentimentos e dúvidas sobre competência. Feedback Construtivo: Proporciona feedback construtivo e específico sobre as realizações do profissional, destacando suas habilidades e contribuições. Isso pode ajudar a diminuir a autocrítica. Mentoria e Networking: Incentive a participação em programas de mentoria e redes de apoio profissional. A interação com colegas e mentores pode fornecer perspectivas externas e fortalecer a confiança. Desmistificação do Fracasso: Ajude a pessoa a compreender que o fracasso não é uma reflexão direta da sua competência, mas uma oportunidade de aprendizado. Desmistificar o fracasso pode reduzir a pressão autoimposta. Reconhecimento de Conquistas: Encoraje a reflexão sobre as conquistas alcançadas, incentivando a pessoa a reconhecer e internalizar seu próprio sucesso.

Veja também: Práticas de mindfulness e meditação para o bem-estar mental

 Cinco dicas para melhorar esse problema?

1. Autoconhecimento e Reflexão: Inicie um processo de autoconhecimento para identificar padrões de pensamento autocríticos. Reflita sobre suas conquistas, habilidades e reconheça o próprio mérito.

 

  1. Receba Feedback de Forma Construtiva: Aprenda a aceitar feedback de maneira construtiva, entendendo que não é uma crítica à sua competência, mas uma oportunidade de crescimento. Valorize os elogios e reconhecimentos recebidos.

 

  1. Estabeleça Metas Realistas: Defina metas realistas e mensuráveis, evitando auto imposições irrealistas que possam alimentar a sensação de inadequação.

 

  1. Compartilhe Experiências: Compartilhe suas experiências e sentimentos com colegas, amigos ou mentores. Muitas vezes, ao perceber que outros também enfrentam desafios semelhantes, você se sentirá mais compreendido e menos isolado.

 

  1. Celebre Sucessos Pequenos: Aprenda a comemorar conquistas, por menores que sejam. Isso ajuda a reforçar a ideia de que suas realizações são merecidas e fruto do seu esforço. Superar a Síndrome do Impostor pode ser um processo gradual. Se persistirem as dificuldades, buscar ajuda profissional, como terapia, pode ser uma opção valiosa para desenvolver estratégias específicas e promover uma mudança de mindset.

Sobre o autor

Portal de Notícias sobre esporte, saúde, e bem-estar. Uma fonte de Informações a partir de pesquisas científicas nas áreas de ortopedia, medicina esportiva, fisioterapia e tratamentos coadjuvantes.

Dúvidas e Comentários

Espaço para que você possa deixar suas dúvidas e comentários, que serão respondidas pelos nossos Especialistas.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

5 Dicas para as empresas colaborarem com ambientes de trabalho mais saudáveis

Estudo mostra que 33% dos funcionários brasileiros têm algum tipo de transtorno mental

Leia mais

O que fazer ao encontrar dificuldades no acesso a tratamentos de saúde? Entenda!

A advogada Renata Frias, especialista em Direito da Saúde explica sobre a situação que atinge muitos brasileiros

Leia mais

Estrabismo: entenda a condição e a importância do diagnóstico ainda na infância

Comportamentos específicos podem denunciar que há́ desalinhamento entre os olhos nos primeiros anos de vida. A boa notícia é que há́ possibilidade de cura até́ os 8 anos de idade

Leia mais