Saúde & Bem EstarSaúde Mental

Insônia: o que é, principais causas e como tratar

Escrito por:Redação SO.U + Bem Estar |

A insônia se tornou um problema comum na vida dos brasileiros

Insônia, o que fazer?

A insônia se tornou um problema comum na vida dos brasileiros. Números de 2021 da Associação Brasileira do Sono (ABS) mostram que mais de 73 milhões de pessoas no país convivem com essa adversidade.

Nessa realidade, especialistas afirmam que, caso não seja tratada, as consequências da insônia podem ser sérias, tanto para a saúde física quanto mental de uma pessoa. Além disso, ela pode afetar no rendimento profissional dela, impactando sua produtividade.

Neste artigo você poderá entender o que, de fato, é a insônia, como ela ocorre, quais são os seus tipos, a maneira que ela afeta uma pessoa e até como ela pode ser tratada. Acompanhe a leitura!

O que é a insônia?

A insônia é um tipo de distúrbio do sono que, popularmente, é conhecida como uma condição que impede que uma pessoa durma ou atrase o seu descanso. Contudo, ela vai além disso, podendo estar relacionada com qualidade do sono.

Ela impacta na quantidade de tempo que alguém consegue ficar adormecido. Ou seja, uma pessoa que sofre de insônia, além de demorar a adormecer, pode lidar com noites menos restauradoras — afetando ainda mais sua saúde no longo prazo.

Você pode se interessar: Como anda o seu sono?

A insônia pode ser classificada em determinados tipos, como:

Insônia aguda

A insônia aguda é descrita como uma dificuldade de cair no sono devido a situações de estresse. Existem cenários comuns que podem causá-la, tanto no âmbito pessoal quanto de trabalho, como a perda de um familiar ou até mesmo uma adversidade profissional.

Insônia crônica

Por sua vez, a insônia crônica é característica das pessoas que possuem o distúrbio há um bom período, no qual nem se lembram mais quando este problema começou. Esse tipo é mais comum naqueles com idade mais avançada, sendo tratado como um problema de saúde pública.

Insônia inicial

Já a insônia inicial é caracterizada pela dificuldade de adormecer ao se deitar. Nesse caso, é como se a pessoa ficasse em estado de alertar, sem conseguir desligar os seus pensamentos e se sentindo agitado.

Ela é comum em pessoas que não conseguem se desprender de seus problemas na hora de dormir. Desse modo, há uma demora maior para pegar no sono — o que pode afetar o processo de restauração da noite.

Você pode se interessar: 5 sinais de que você precisa desacelerar a rotina

Insônia no meio da noite

A insônia no meio da noite ocorre quando uma pessoa interrompe seu período de sono, podendo fazer com que acorde várias vezes durante a noite, ou até mesmo permaneça despertado após acordar.

Também existem casos mistos, em que há o envolvimento de diferentes tipos — especialmente a inicial e a no meio da noite. Dessa forma, a pessoa pode demorar a cair no sono e acordar várias vezes durante a noite.

 

Insônia o que fazer

Foto de cottonbro studio

Quais são os sintomas da insônia?

Os sintomas mais conhecidos da insônia são a dificuldade de adormecer e também o constante despertar durante o período de sono. Também há cenários que uma única interrupção durante a noite pode fazer com que a pessoa permaneça acordado durante o resto do tempo.

Além disso, a insônia pode dificultar com que a pessoa acorde cedo — fazendo com que ela tenha uma espécie de “hábito” de acordar tarde. Já quando ela precisa levantar, é comum haver um estágio de sonolência excessiva no decorrer do dia, devido às poucas horas dormidas.

Este distúrbio do sono também pode causar grandes problemas físicos, como cansaço corporal constante. Isso acontece porque ela impacta o processo de descanso da mente, fazendo com que físico também sofra as consequências.

A insônia também pode ocasionar dores de cabeça com bastante frequência. Além do mais, este cansaço físico contribui para a pessoa se tornar menos motivada para atividades cotidianas, tanto profissionais quanto pessoais.

Outro dos sintomas relacionados à insônia é a menor concentração e atenção durante o dia. Também é possível destacar situações de problemas de memória, gerando muitos casos de esquecimento.

Quais as principais causas para a insônia?

Agora que você entendeu mais sobre o que é insônia e quais são os seus sintomas, chegou o momento de entender o que pode causá-las. Confira quais são os motivos mais usuais!

Estresse

A frase “isso está tirando o meu sono” se encaixa muito bem nessa explicação. Situações estressantes, seja na vida profissional ou na pessoal, como problemas financeiros ou familiares, podem fazer com que a pessoa não esteja com a cabeça tranquila o suficiente para ter uma boa noite de sono.

Traumas recentes

Certos traumas podem fazer com que uma pessoa não fique tranquila o suficiente para dormir bem. Nessa realidade, ela pode ficar sempre sendo relembrado o acontecido durante a noite, como situações de grande perigo vividas recentemente e perda de um familiar, impedindo o sono.

Alimentação irregular

Determinadas comidas não afetam apenas a saúde de seu corpo. Elas também podem fazer com que tenha mais dificuldade de dormir, visto que muitas podem fazer com que uma pessoa fique mais acordada, como café, chocolate e açaí.

Elas contêm certos estimulantes, como a própria cafeína. Assim, você pode ficar mais agitado durante a noite e ter dificuldades para conseguir pegar no sono — e também de entrar em estágios mais profundos de descanso.

Ansiedade

Normalmente, pessoas ansiosas possuem mais dificuldade de ter uma boa noite de sono. É comum que aqueles com essa condição tenham o hábito involuntário de lembrar e imaginar situações que lhe causam medo e desconforto.

Você pode se interessar: Quer acabar com a ansiedade e a depressão? Movimente-se

Uso excessivos de aparelhos eletrônicos

Eletrônicos como celulares, TV e videogames estimulam a pessoa a ficar acordada, além de fazer com que não sinta o tempo passar. Com isso, elas podem perder horas importantes de descanso.

Isso acontece porque eles também atuam como estimulantes, fazendo com que o cérebro continue “ativo”. Logo, o sono pode ficar prejudicado.

Hábitos irregulares

Normalmente, pessoas que pouco praticam atividades físicas podem ter insônia. A prática de exercícios faz com que o corpo fique cansado, contribuindo para ter facilidade de cair no sono. Além do mais, aqueles que não possuem uma boa rotina de descanso, sem um horário fixo para dormir, podem desenvolver o distúrbio.

Como a insônia afeta o cotidiano de uma pessoa?

Na vida profissional, a insônia pode fazer com que a pessoa seja menos produtivo em seu trabalho, tanto pelo cansaço físico quanto mental. Isso pode afetar o seu desempenho, prejudicando entregas e também o relacionamento com os colegas.

Além disso, com o “hábito forçado” de acordar tarde, é possível que uma pessoa arrisque perder o emprego devido a atrasos, seja por chegar na hora do expediente ou para fazer o seu trabalho designado.

No caso de estudantes, é comum haver mais dificuldade em se concentrar nas aulas e nos estudos. As dores de cabeça frequentes também podem acontecer ao tentarem “forçar” momentos de foco.

Já na vida pessoal, aquele com insônia pode ter seus relacionamentos afetados, visto que este distúrbio pode causar grandes mudanças de humor e estresse. Ademais, ela pode ocasionar indisposição até mesmo para atividades de lazer.

Qual a quantidade ideal de sono para uma pessoa?

Uma dúvida bastante usual entre as pessoas é relativa à quantidade ideal de horas de sono por dia. Contudo, não há uma resposta certa para pergunta, uma vez que a necessidade de sono varia de pessoa para pessoa.

Nesse sentido, é bastante difundido que o tempo necessário para uma noite de descanso pode ser de sete a nove horas. É importante destacar que o período pode mudar de acordo com características como idade, saúde etc,

Você pode se interessar: Truques para cair no sono em 10, 60 ou 120 segundos

Como tratar a insônia?

Um dos primeiros passos recomendados para tratar a insônia são as mudanças de determinados hábitos, como uma melhor alimentação e diminuição da quantidade de cafeína, principalmente perto da hora de dormir.

Além disso, fazer exercícios físicos com mais regularidade, manter um horário de sono bem definido e evitar dormir por muito tempo durante o dia, tirando apenas 20 minutos para um cochilo, contribuem como forma de tratamento.

Também é interessante e até recomendável criar um ambiente de descanso mais confortável possível, onde seja o mais limpo e escuro. Outra prática benéfica é evitar o uso de aparelhos eletrônicos na hora de dormir.

Caso seja uma pessoa com ansiedade ou depressão, o recomendável é que procure um psicólogo ou psiquiatra para acompanhá-lo. O profissional poderá fazer um tratamento adequado e direcionar os medicamentos mais eficientes para o caso.

Sobre o autor

Portal de Notícias sobre esporte, saúde, e bem-estar. Uma fonte de Informações a partir de pesquisas científicas nas áreas de ortopedia, medicina esportiva, fisioterapia e tratamentos coadjuvantes.

Veja também

Riscos da divulgação de “antes e depois” de procedimentos estéticos

Cirurgião plástico Josué Montedonio adverte sobre riscos da divulgação de "antes e depois" de procedimentos estéticos

Leia mais

Preliminares: Entenda a importância para o corpo feminino

Você sabe por que uma mulher precisa de preliminares no momento do sexo?

Leia mais

Veja 4 produtos essenciais para se ter na rotina de skincare da pele madura

Entenda quais são esses produtos e o benefício de cada um deles para a pele

Leia mais