Saúde Mental

E depois do Janeiro Branco?

Escrito por:Redação SO.U + Bem Estar |

É muito importante a conscientização durante o mês de Janeiro, mas precisamos levar essa conscientização como base para todos os dias subsequentes as campanhas de janeiro.

Tivemos em janeiro a oportunidade de refletir sobre a saúde mental, como evitar adoecer mentalmente, o que fazer por pessoas que estão em sofrimento psíquico e mais uma série de pontos. Bem, mas temos agora o ano todo pela frente e é importante que os resultados dessa campanha não sejam esquecidos.

Então, o que tem que ser lembrado nos onze meses que temos pela frente? Em primeiro lugar, é importante ter sempre em mente que uma pessoa que apresenta um transtorno mental, seja leve e passageiro ou grave e duradouro, não está nessa situação porque “quer” ou porque “não teve força de vontade o suficiente”. O sofrimento que ela experimenta é muito mais forte do que a “força de vontade”. Portanto, a tolerância, a paciência e o acolhimento precisam estar sempre presentes.

E DEPOIS DO JANEIRO BRANCO...

©Leonidas Santana de Getty Images via Canva.com

Veja também: Janeiro Branco – Mês do cuidado com a saúde mental

O próprio paciente precisa ter paciência com ele mesmo! Vou dar um exemplo. Um dos transtornos mais comuns de que cuidamos hoje em dia é a depressão. Quando fazemos a primeira consulta e propomos o início do tratamento, é comum que a pessoa pergunte: “E agora, doutor, o que é que eu faço?”. Eu geralmente respondo, de um jeito apropriado, claro: “Nada…” O paciente fica um pouco surpreso, mas imediatamente eu explico: “Você está sem disposição, deixou de fazer um monte de coisas, não está dormindo direito, não é? Então… não se preocupe em fazer nada por enquanto, inicie o tratamento, sua vida vai voltar ao normal de forma natural em algumas semanas.” Às vezes são os familiares que fazem essa pergunta. Estas orientações são importantes para uma boa evolução. Com os recursos que temos atualmente, uma depressão apresenta melhora progressiva ao longo dos dias e o médico jamais poderia recomendar coisas do tipo “Volte pra academia amanhã.”

Outro ponto importante a ser lembrado (nos próximos onze meses!) é a manutenção de hábitos saudáveis, um bom sono, fazer exercícios físicos e ter atividades de lazer. Vale também para a pessoa deprimida de que acabamos de falar, depois que ela já estiver “em forma” novamente, superando um momento difícil.

Fonte: Dr. Estevam Vaz – Psiquiatra e Psicanalista | @estevamvazdelima

 

Sobre o autor

Portal de Notícias sobre esporte, saúde, e bem-estar. Uma fonte de Informações a partir de pesquisas científicas nas áreas de ortopedia, medicina esportiva, fisioterapia e tratamentos coadjuvantes.

Dúvidas e Comentários

Espaço para que você possa deixar suas dúvidas e comentários, que serão respondidas pelos nossos Especialistas.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

5 Dicas para as empresas colaborarem com ambientes de trabalho mais saudáveis

Estudo mostra que 33% dos funcionários brasileiros têm algum tipo de transtorno mental

Leia mais

O que fazer ao encontrar dificuldades no acesso a tratamentos de saúde? Entenda!

A advogada Renata Frias, especialista em Direito da Saúde explica sobre a situação que atinge muitos brasileiros

Leia mais

Estrabismo: entenda a condição e a importância do diagnóstico ainda na infância

Comportamentos específicos podem denunciar que há́ desalinhamento entre os olhos nos primeiros anos de vida. A boa notícia é que há́ possibilidade de cura até́ os 8 anos de idade

Leia mais