Saúde & Bem Estar

Descubra como tratar a Diabulimia: Doença que associa a Diabetes com Bulimia Nervosa

Escrito por:Redação SO.U + Bem Estar |

Conheça mais sobre transtorno alimentar que afeta pessoas com Diabetes tipo 1

A busca pelo corpo perfeito leva muitas adolescentes a cometerem loucuras para não ganhar peso. Submetendo-se a várias dietas rígidas, muitas vezes combinadas de inibidores de apetite, laxantes e diuréticos para conseguir chegar o mais rapidamente ao peso que considera ideal para si.

Cerca de 10% a 20% de jovens com diabetes desenvolvem a diabulimia, que une os problemas da diabete tipo 1 com a bulimia nervosa. No caso, a Bulimia nervosa é uma doença em que a pessoa exagera na ingestão de alimentos ou tem episódios regulares em que come excessivamente perdendo o controle.

Para eliminar essa grande quantidade de comida, o bulímico provoca vômitos ou abusa de laxantes com o intuito de impedir o ganho de peso. De acordo com a endocrinologista da Clínica de Especialidades Integradas, Carolina Mantelli Borges, as pessoas portadoras de diabetes do tipo 1 e que apresentam sintomas de Bulimia Nervosa podem abusar da doença para emagrecer colocando a saúde em risco.

Descubra como tratar a Diabulimia Doença que associa a Diabetes com Bulimia Nervosa

©pixelshot via Canva.com

“A diabulimia é um transtorno alimentar que reúne os malefícios da diabetes tipo 1 com a bulimia nervosa. Trata-se de um transtorno alimentar especifico, que afeta apenas pessoa que tem diabetes tipo 1.

Os diabéticos precisam de insulina para metabolizar o alimento e convertê-lo em energia em nível celular. Se o corpo não tiver insulina, ele não tem como utilizar a energia dos alimentos, esse procedimento pode provocar uma grande perda de peso.

O Bulímico diabético deixa de consumir suas doses diárias de insulina só para emagrecer”, explicou.

A endocrinologista ainda alerta que com a elevação dos níveis de açúcar no sangue, ocorre um aumento da excreção urinaria do paciente, fortes dores de cabeça, visão turva, enjoos e queda de peso. A longo prazo pode refletir em retinopatias, graves problemas renais, cegueira, impotência e outras sequelas; o paciente entra em estado de cetoacidose diabética que pode leva-lo até ao óbito. É uma situação extremamente grave e perigosa.

Veja também: A importância do Dia Mundial do Combate à Diabetes

*Dra. Carolina Mantelli Borges – Médica Graduada Em Endocrinologia E Metabologia, Responsável Pela Endocrinologia Da Clínica Mantelli

Sobre o autor

Portal de Notícias sobre esporte, saúde, e bem-estar. Uma fonte de Informações a partir de pesquisas científicas nas áreas de ortopedia, medicina esportiva, fisioterapia e tratamentos coadjuvantes.

Veja também

Riscos da divulgação de “antes e depois” de procedimentos estéticos

Cirurgião plástico Josué Montedonio adverte sobre riscos da divulgação de "antes e depois" de procedimentos estéticos

Leia mais

Preliminares: Entenda a importância para o corpo feminino

Você sabe por que uma mulher precisa de preliminares no momento do sexo?

Leia mais

Veja 4 produtos essenciais para se ter na rotina de skincare da pele madura

Entenda quais são esses produtos e o benefício de cada um deles para a pele

Leia mais