Ginecologia e Saúde Feminina

Mitos da Ginecologia Desmascarados: Conheça a Verdade sobre a Saúde Feminina

Escrito por:Redação SO.U + Bem Estar |

Confira os principais mitos ginecológicos e as verdades que devem ser levadas em consideração quando falamos desse tema

A ginecologia é um tema cheio de dúvidas, mitos e também verdades. Muitas vezes a falta de conhecimento faz com que informações equivocadas sejam propagadas. Dessa forma, a saúde íntima da mulher acaba sendo envolvida por tabus.

Essa realidade tem um forte impacto negativo na maneira como as mulheres conhecem e se relacionam com o próprio corpo. Isso se torna ainda mais problemático quando sintomas reais não são percebidos e a qualidade de vida cai.

O que é a saúde ginecológica?

A saúde ginecológica envolve uma série de cuidados médicos relacionados ao sistema reprodutivo feminino. Isso inclui órgãos como ovários, útero, trompas, vagina e vulva.

Manter uma boa saúde ginecológica — livre de infecções ou doenças — é fundamental para o bem estar feminino, desde a adolescência até a vida adulta.

A saúde ginecológica está muito ligada à prevenção. Ou seja, ter os cuidados necessários para evitar problemas futuros. Por isso os exames de rotina são tão importantes nesse processo.

Veja também: Endometriose: O que você precisa saber sobre essa doença

7 Mitos e verdades sobre a ginecologia (saúde feminina)

Com uma diversidade de opiniões não podemos acreditar em tudo o que ouvimos ou lendo. Por isso, é necessário ter atenção com os conteúdos consumidos. Afinal, as informações erradas podem nos levar a decisões cheias de malefícios.

Agora que você já sabe a importância das ações preventivas para manter uma boa saúde ginecológica, chegou o momento de descobrir alguns mitos e verdades relacionados a esse cuidado.

1.      Calça jeans provoca corrimento

Verdade. O uso frequente de calça jeans pode ser responsável por um desequilíbrio na flora vaginal. Isso acontece porque o tecido da calça prejudica a transpiração nas regiões íntimas, principalmente nos dias mais quentes.

Com esse desequilíbrio na flora vaginal, maiores são as chances do corrimento acontecer.  É importante destacar que existem casos no quais o corrimento é natural.

Sendo assim, para medir a saúde feminina é importante observar questões como cor, textura e quantidade do corrimento durante o ciclo menstrual.

Caso haja odor ou uma coloração diferente — ela normalmente deve ser transparente — é importante visitar o médico e investigar as causas. Nem sempre a calça jeans é responsável!

 

2.      Dor intensa durante a menstruação é normal

Mito. Sentir desconfortos — as famosas cólicas — pode ser algo comemorado normal. Contudo, quando essas dores são muito intensas, é necessário ligar o sinal de alerta.

Quando uma mulher sente muita dor no período menstrual, a ponto de ter seus movimentos limitados, é possível que ela tenha endometriose ou fibromas.

Ambas são doenças que afetam o sistema reprodutivo feminino. Apesar de semelhantes, elas são caracterizadas por:

  • Endometriose: dor pélvica intensa, sangramento menstrual anormal, fadiga e dor ao urinar.
  • Fibroma: menstruação prolongada, constipação, pressão na pelve ou região abdominal.

Ao suspeitar de um dos dois casos, é necessário consultar um especialista.

 

3.      Mulheres podem ser infectadas pelo vírus HPV

Verdade. O HPV, ou papilomavírus, é uma doença sexualmente transmissível e pode ser adquirido pelas mulheres durante as relações sexuais.

Nem sempre a pessoa infectada vai sentir os sintomas da doença. Também é possível que apenas um dos parceiros apresente sinais da infecção. De toda forma, é importante que o tratamento seja feito por ambos os envolvidos na relação sexual.

A maioria das infecções pelo HPV são liberadas pelo organismo, mas existem casos nos quais elas podem persistir. Quando isso acontece, maiores são as chances da mulher desenvolver o câncer do colo do útero.

Mitos da Ginecologia

 

4.      Mulheres menstruadas não podem engravidar

Mito. Essa provavelmente é uma frase que você já ouviu muito — quem sabe até acreditou —mas precisamos informar que ela não é verdade.

Ainda que seja menos comum mulheres engravidarem quando estão menstruadas, não significa que é impossível. Isso acontece principalmente para quem tem ciclos menstruais desregulados e podem acabar estando no período fértil sem saber.

A melhor forma de evitar gravidezes indesejadas é utilizar os métodos contraceptivos. Eles ajudam a prevenir não apenas a gravidez, mas também as doenças sexualmente transmissíveis.

 

5.      Os pelos protegem a vagina

Verdade. Os pelos pubianos são responsáveis por criar uma barreira que protege a pele das sujeiras. Além disso, eles mantêm a umidade da pele, visto que a vulva tem um teor de umidade maior que o resto do corpo.

Os maiores riscos de remover os pelos pubianos são os ferimentos. Por exemplo, não é incomum que na hora de retirar o pelo acabe havendo alguma infecção ou mesmo pelos encravados.

Contudo, isso não significa que você tem obrigação de deixá-los lá. Essa é uma decisão individual. Mas é importante saber as informações corretas para avaliar suas escolhas com segurança.

 

6.      Absorventes internos podem causar danos

Mito. Os absorventes internos são seguros e não devem causar dores. Entretanto, para que isso aconteça, é fundamental que eles sejam usados corretamente e também tenham uma rotina frequente de trocas.

Os absorventes internos só chegam a representar danos à saúde da mulher se as instruções de uso não forem seguidas ou as práticas de boa higiene sejam colocadas de lado.

Ou seja, limpando corretamente o absorvente interno você evita infecções e não precisa se preocupar em estar trazendo qualquer malefício para sua saúde.

 

7.      Ficar com biquíni molhado pode fazer mal

Verdade. O biquíni molhado pode favorecer a proliferação de bactérias e fungos. O resultado é a candidíase, infecção que causa coceira e corrimento vaginal.

Por isso, você deve evitar sair de banhos — no mar, piscinas, lagos, etc — e permanecer com a roupa de banho durante muito tempo.

Uma boa dica para colocar em prática é sempre andar com uma calcinha na bolsa quando você for tomar banho em locais como os citados acima. Depois de se banhar basta trocar a roupa molhada por uma seca. Essa é uma prática simples que evita muitos problemas.

Então, gostou das dicas? Se tem alguma outra informação que você gostaria de saber se é mito ou verdade quando falamos da saúde ginecológica feminina, comente aqui embaixo.

O mais importante é lembrar que não existe padrão para todos os casos. Cada pessoa é única e as necessidades de saúde podem variar.

Por isso, busque sempre informações em fontes confiáveis e faça consultas com profissionais especializados para passarem os melhores direcionamentos a partir de suas necessidades.

Veja também: Climatério x Menopausa: Você sabe diferenciar?

Sobre o autor

Portal de Notícias sobre esporte, saúde, e bem-estar. Uma fonte de Informações a partir de pesquisas científicas nas áreas de ortopedia, medicina esportiva, fisioterapia e tratamentos coadjuvantes.

Dúvidas e Comentários

Espaço para que você possa deixar suas dúvidas e comentários, que serão respondidas pelos nossos Especialistas.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

5 Dicas para as empresas colaborarem com ambientes de trabalho mais saudáveis

Estudo mostra que 33% dos funcionários brasileiros têm algum tipo de transtorno mental

Leia mais

O que fazer ao encontrar dificuldades no acesso a tratamentos de saúde? Entenda!

A advogada Renata Frias, especialista em Direito da Saúde explica sobre a situação que atinge muitos brasileiros

Leia mais

Estrabismo: entenda a condição e a importância do diagnóstico ainda na infância

Comportamentos específicos podem denunciar que há́ desalinhamento entre os olhos nos primeiros anos de vida. A boa notícia é que há́ possibilidade de cura até́ os 8 anos de idade

Leia mais