Gravidez e Reprodução Humana

Deseja alterar seu método contraceptivo? Veja 4 motivos pelos quais os especialistas indicam o implante anticoncepcional

Escrito por:Redação SO.U + Bem Estar |

Conversamos com o ginecologista César Patez e tiramos todas as dúvidas sobre o “Implanon”

Entre tantas opções de métodos contraceptivos, um tem despertado a curiosidade de algumas mulheres: o implante anticoncepcional, popularmente conhecido como Implanon. Segundo o ginecologista César Patez, trata-se de um “anticoncepcional” em forma de bastonete que é inserido sob a pele da mulher. O motivo do interesse das possíveis adeptas é a taxa de eficácia: ultrapassa os 99%, além de ter uma aplicação tranquila.

“A aplicação do implante contraceptivo é bem rápida e prática, quase indolor, mas, em alguns casos, é recomendado o uso de anestesia local para garantir o conforto do paciente. Após inserido no braço da mulher, ele libera o hormônio sintético ‘etonogestrel’, que é derivado da progesterona. Em seguida, ele é absorvido pela corrente sanguínea, passando a agir com o bloqueio da ovulação e alterando o muco cervical, o que impede a gravidez”, explicou o médico.

A seguir, confira 4 pontos que merecem ser considerados:

Deseja alterar seu método contraceptivo Veja 4 motivos pelos quais os especialistas indicam o implante anticoncepcional

©JLco – Julia Amaral de Getty Images via Canva.com

1. Alta taxa de eficácia

Superando os 99%, a taxa de eficácia do implante é comparada à da laqueadura, já que ambos possuem falha de apenas 0,05%.

Veja também: Mitos da Ginecologia Desmascarados: Conheça a Verdade sobre a Saúde Feminina

2. Método de longa duração

Patez detalha que o método tem durabilidade de três anos e que começa a fazer efeito contraceptivo a partir dos sete dias de aplicação. Entretanto, ele diz que, após sua retirada, a fertilidade da mulher costuma voltar ao normal já no primeiro mês.

 

3. Pouca contraindicação

Excetuando-se casos em que a paciente tenha alergia ao ‘etonogestrel’ ou possua trombose, é indicado para mulheres de qualquer idade: “É muito usado para pacientes no início da vida reprodutiva por combater os sintomas da TPM e ajudar no controle do ciclo”, pontua o médico.

4. Há muita diferença entre este e outros métodos?

Patez explica que, maioria, age como o implante: “Quase todos atuam como bloqueadores da ovulação, mas o DIU de cobre, por exemplo, atua como um método de barreira, já que ele libera íons e dificulta a mobilidade dos espermatozoides, além de também agir dificultando a implantação do óvulo, caso o primeiro quesito falhe. Mas isso não quer dizer que não seja eficaz, assim como o DIU hormonal, que libera baixas doses de progesterona e deixa a camada do útero fina, o que altera o muco e a motilidade tubária, tornando-o também bastante eficaz”, completa.

 

Sobre o autor

Portal de Notícias sobre esporte, saúde, e bem-estar. Uma fonte de Informações a partir de pesquisas científicas nas áreas de ortopedia, medicina esportiva, fisioterapia e tratamentos coadjuvantes.

Veja também

Riscos da divulgação de “antes e depois” de procedimentos estéticos

Cirurgião plástico Josué Montedonio adverte sobre riscos da divulgação de "antes e depois" de procedimentos estéticos

Leia mais

Preliminares: Entenda a importância para o corpo feminino

Você sabe por que uma mulher precisa de preliminares no momento do sexo?

Leia mais

Veja 4 produtos essenciais para se ter na rotina de skincare da pele madura

Entenda quais são esses produtos e o benefício de cada um deles para a pele

Leia mais