Estética

Ácido hialurônico versus PMMA: entenda sobre a escolha correta do preenchimento estético

Escrito por:Redação SO.U + Bem Estar |

Entenda as principais diferenças, riscos e cuidados ao escolher o procedimento desejado

No mundo em constante evolução dos procedimentos estéticos, as opções de preenchimento facial oferecem uma ampla gama de soluções para aqueles que buscam rejuvenescimento e realce facial. Duas das escolhas mais comuns neste cenário são o ácido hialurônico e o polimetilmetacrilato (PMMA).

Com o surgimento recente do caso de preenchimento labial que resultou em complicações no rosto da influencer Mariana Michelini fazendo-a perder o lábio superior e buço, o debate sobre o procedimento estético e substâncias utilizadas para tal veio à tona nas mídias sociais e entre profissionais da estética.

Mariana realizou preenchimento nos lábios, no queixo e na maçã do rosto em 2020 mediante permuta com uma profissional de sua cidade em troca de divulgação da mesma. O acordo feito se baseava em harmonização facial com ácido hialurônico e, um ano após o procedimento, a influencer começou a ter efeitos colaterais e recorreu a um dermatologista. Quando o profissional aplicou a enzima hialuronidase para dissolver o ácido hialurônico, descobriu a presença do PMMA.

Procedimentos como PMMA são irreversíveis devido à fixação da substância na musculatura do rosto, o que resultou na deformação da influencer que passou por cirurgias para remoção da substância e consequentemente precisou remover o buço e o lábio superior.

Diferença entre PMMA e Ácido Hialurônico

O PMMA (polimetilmetacrilato) é um tipo de preenchimento permanente utilizado em procedimentos estéticos, oferecendo resultados duradouros. Ele é mais indicado para correções volumétricas significativas ou em regiões onde se deseja um efeito mais permanente. Entretanto, sua natureza permanente também significa que qualquer complicação ou insatisfação com o resultado pode ser difícil de corrigir.

O Ácido Hialurônico, por outro lado, é um preenchimento temporário, biocompatível e absorvível pelo corpo. É amplamente utilizado devido à sua segurança e eficácia em restaurar volume, suavizar linhas e rugas, e promover hidratação da pele. Os resultados tendem a durar de 6 a 18 meses, dependendo do tipo de produto utilizado, quantidade aplicada e da área tratada, oferecendo aos pacientes uma opção menos invasiva e mais flexível em termos de manutenção e ajustes.

Veja também: Rugas: 7 Motivos para se formarem

Ácido hialurônico versus PMMA entenda sobre a escolha correta do preenchimento estético

©efetova via Canva.com

Desafios e Preocupações da Indústria

“Um dos principais desafios é garantir a segurança e eficácia dos produtos, especialmente com o PMMA, devido ao risco de complicações como rejeição, infecção ou migração do produto. Outra preocupação é o aumento de procedimentos realizados por profissionais não qualificados, elevando o risco de resultados indesejáveis ou complicações. A regulamentação rigorosa e a educação dos consumidores sobre os riscos e benefícios são cruciais”, aponta Leo Puglisi, CEO da SmartClear e profissional da área estética.

Ao ser questionado sobre a abordagem nos procedimentos estéticos que usualmente acontecem, Leo explica como funciona o direcionamento e tomada de decisão para procedimentos estéticos em sua clínica: “Diferentemente de outras clínicas que podem recorrer ao uso de PMMA devido aos seus efeitos de longa duração, nós optamos conscientemente por evitar materiais com riscos mais elevados, como o PMMA, em favor do ácido hialurônico e outras alternativas seguras. Esta escolha reflete nosso compromisso com a saúde e o bem-estar dos nossos pacientes, assegurando resultados estéticos que se harmonizam com a anatomia individual”

Cuidados Essenciais na tomada de Decisão

O profissional reforça a importância de checar informações antes de tomar a decisão de realizar um procedimento estético, como realizar a pesquisa do preenchimento desejado, optar por clínicas certificadas e procurar um profissional qualificado.

“É preciso ter uma série de cuidados antes de tomar uma decisão importante como um procedimento estético: escolher o profissional qualificado e certificado, entender a diferença entre os tipos de substâncias e suas fabricações, seguir instruções após o procedimento e manter contato regular com o seu médico para monitorar sua recuperação são alguns desses cuidados”, finaliza Leo Puglisi.

Sobre o autor

Portal de Notícias sobre esporte, saúde, e bem-estar. Uma fonte de Informações a partir de pesquisas científicas nas áreas de ortopedia, medicina esportiva, fisioterapia e tratamentos coadjuvantes.

Veja também

Pesquisa da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular revela aumento de óbitos por AVC em relação ao IAM

O AVC é uma das principais causas de morte no mundo.

Leia mais

Anualmente, 40% das pessoas idosas sofrem quedas

Idade avançada é sinal de alerta para fratura vertebral

Leia mais

Dia do Homem: Urologista explica importância de tratamento inovador para problemas na próstata

Seis em cada 10 homens no Brasil só procuram um médico quando os sintomas estão insuportávei

Leia mais