Esporte e Atividades Físicas

O melhor amigo do esportista: conheça o médico do esporte

Escrito por:Redação SO.U + Bem Estar |

O aliado necessário para a continuidade da prática e manutenção da saúde do Esportista!

Com o aumento na frequência de atividade física dos brasileiros, o acompanhamento de um médico do esporte torna-se cada vez mais indispensável para atletas profissionais e amadores. Afinal, ele é um dos aliados necessários para a continuidade da prática e manutenção da saúde do indivíduo.

Segundo a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), fazendo um comparativo entre os anos 2013 e 2019, houve um aumento considerável na prática de exercício físico em todo o território nacional. Só em 2019, por exemplo, quase um terço dos brasileiros com 18 anos ou mais demonstraram ter uma rotina de exercícios.

Pensando nisso, neste artigo você poderá conferir uma entrevista com a Dra. Nicole Nardy*, residente em medicina esportiva, sobre a importância do apoio de um profissional qualificado na área em questão e os benefícios para os atletas e praticantes.

Aproveite a leitura e conheça o melhor amigo do esportista!

O que é um médico do esporte?

O médico do esporte faz parte de uma área de atuação inovadora e opera em todos os campos da atividade física, sendo em formato competitivo ou de recreação. Dessa forma, os praticantes amadores também devem buscar um especialista para ajudar no seu desempenho. Segundo a residente em medicina esportiva, Dra. Nicole Nardy, a avaliação é completa.

“Ele avalia a saúde cardiopulmonar e vascular, evita e trata lesões, alinha planejamento nutricional, suplementação e outros fatores como sono e intestino”, afirma ela.  Sendo assim, com ele é possível ter evolução de performance, melhoria da composição corporal e da qualidade de vida.

O médico do esporte tem um vasto conhecimento em diversas áreas, como cardiologia, endocrinologia, imunologia, ortopedia e até psicologia. A junção de diversos campos é necessária para que a análise englobe diversos aspectos do indivíduo.

Os profissionais também são responsáveis por fazer o diagnóstico de possíveis problemáticas que venham a ser causadas pelos exercícios. Além disso, o médico do esporte ajudará você a reconhecer os limites do seu corpo e cuidados necessários para evitar lesões indesejadas.

Veja também: Plantão #8 | Medicina Esportiva e Nutrologia

O que faz o médico do esporte?

Como você viu, o médico do esporte pode atuar em diversos cenários dentro da realidade de cada praticante. Mas ele também pode estar presente em outros cenários na vida de um atleta ou amador, sendo eles:

  • coordenar equipes de saúde esportiva;
  • fazer gestão de projetos de tecnologia e inovação no esporte;
  • acompanhar e orientar sobre dopagem a atletas de alta performance.

Em casos específicos, como pessoas com deficiência (PCD) e doenças crônicas, o especialista trabalhará de forma diferenciada para cada realidade. Contudo, é importante ter em mente que o médico do esporte não vai agir como um substituto para o especialista que já acompanha o indivíduo.

Nesses casos, a ação dele será de orientação a respeito da inclusão de exercícios físicos na rotina. Assim, a atividade será uma aliada para o tratamento existente. O especialista vem para ajudar na implementação e manutenção de uma rotina dinâmica.

Veja também: Por dentro da medicina esportiva

O trabalho serve apenas para atletas profissionais?

Uma crença comum nesse meio é que o acompanhamento de profissionais é necessário apenas para atletas de alto rendimento — ou seja, aqueles que competem. No entanto, essa é uma percepção equivocada sobre a realidade.

“Qualquer pessoa ativa ou sedentária que busque melhora da qualidade de vida, da composição corporal e do rendimento físico pode buscar um médico do esporte”, pontua a Dra. Nicole Nardy.

O trabalho do especialista não se concentra apenas em atletas, também pode ser utilizado para ser um tratamento adicional para doenças crônicas como diabetes. “ Inclusive, esses indivíduos podem ter um controle clínico com a melhora dos hábitos de vida”, ressalta a especialista.

Dessa forma, a medicina esportiva pode ser uma aliada para inúmeros indivíduos, amadores ou profissionais, em casos como:

  • controle de peso corporal;
  • melhoria na qualidade do sono;
  • sedentarismo;
  • prevenção contra quedas.

Ou seja, a medicina do esporte é recomendada para todos os indivíduos que desejam uma avaliação completa e melhoria na qualidade de vida. O acompanhamento é indicado para todas as faixas etárias.

Veja também: Água e as atividades físicas

Em que momento é importante contar com esse apoio?

É indicado que se tenha o auxílio do médico do esporte antes do início da prática de atividades físicas  e durante a mesma. Entretanto, a avaliação poderá ser feita em qualquer momento. É necessário ressaltar que muitos pacientes buscam o especialista apenas após uma lesão ou trauma.

De acordo com a Dra. Nicole Nardy, você deverá buscar assistência médica se sentir “qualquer dor ou lesão que incapacite a realização de movimentos, trauma durante o esporte, mal estar súbito ou dor no peito”.

Assim, o médico irá atuar para a resolução da problemática da forma mais indicada para cada caso. Porém, o ideal é trabalhar para prevenir uma possível lesão. Afinal, como você acompanhou, a ação dessa especialidade se dá em todas as fases da prática.

Quais as vantagens de contar com um médico do esporte?

Com o entendimento amplo do corpo humano, a medicina esportiva estuda as principais características da anatomia, fisiologia e biomecânica do movimento. Desse modo, é uma área completa sobre o mundo das atividades físicas.

“Entendendo o corpo humano e as peculiaridades de cada esporte é possível prever e evitar lesões por meio de uma preparação adequada, priorizando desenvolvimento e grupos musculares mais utilizados pelo paciente, com aprimoramento dos movimentos esportivos”, destaca a médica.

O médico do esporte realiza uma espécie de monitoramento por meio de diversas análises e exames. O equilíbrio é a palavra-chave para que seja possível alinhar um desenvolvimento satisfatório e garantir uma continuidade nas atividades.

Além disso, a tecnologia tem papel fundamental nessa análise. “Balança de bioimpedância, mede a composição corporal; ergoespirometria, fornece parâmetros exatos para a prescrição correta de treinos; a calorimetria indireta que avalia metabolismo e trocas gasosas do indivíduo”, afirma.

Além dos citados, o especialista ainda aponta outras ferramentas como esteiras antigravitacionais para corrigir a biomecânica do exercício e para reabilitação; até mesmo comprimidos que fazem leitura de temperatura corporal para evitar lesões durante o treino.

“Um corpo preparado é um corpo saudável, disposto, com boa funcionalidade nas atividades do dia a dia e durante o exercício físico”, finaliza a Dra. Nicole Nardy.

Veja também: Por que não emagreço?

*Dra. Nicole Nardy Paula Razuck é residente em Medicina Esportiva na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. É pós-graduada em Nutrologia pelo Hospital Israelita Albert Einstein e formou-se em medicina pela Faculdade Santa Marcelina.

Sobre o autor

Portal de Notícias sobre esporte, saúde, e bem-estar. Uma fonte de Informações a partir de pesquisas científicas nas áreas de ortopedia, medicina esportiva, fisioterapia e tratamentos coadjuvantes.

Veja também

A relação entre a obesidade e a depressão é complexa e multifacetada

A complexa interligação entre obesidade e depressão destaca-se por fatores biológicos, estresse, estigma social, estilo de vida e a gestão desafiadora da saúde, exigindo abordagens holísticas para um bem-estar completo.

Leia mais

Suplementos: Quando se deve usar no dia a dia? Confira as indicações e a importância deles

Dra. Sylvia Ramuth do Emagrecentro explica quais os tipos de suplementação e cuidados para o uso

Leia mais

Jiu Jitsu além do esporte: conheça a arte marcial com benefícios mentais

Esporte de origem japonesa que contém uma série de vantagens para o corpo e alma

Leia mais