Esporte e Atividades FísicasMovimento

Lesões no beach tennis: quais as principais e como prevenir?

Escrito por:Redação SO.U + Bem Estar |

Apesar de ser divertido, é preciso ter certos cuidados.

O beach tennis é um dos esportes mais badalados do momento e praticado por inúmeras pessoas. No entanto, apesar de ser divertido, é preciso ter certos cuidados. A prática se dá em um terreno sem estabilidade e lesões podem ocorrer — principalmente no início de uma construção de rotina.

É claro que machucados e contusões podem acontecer em qualquer outro esporte, indo do mais seguro ao mais desafiador. Por conta disso, é necessário estar atento para evitar dores desagradáveis durante a prática.

Neste artigo você entenderá quais são as principais lesões do beach tennis e como prevenir esses episódios dolorosos e inconvenientes para a sua rotina. E para falar sobre esse tópico, as fisioterapeutas as Dras Maria Carolina Valencise* e Kiara Vieira**, do Instituto Trata Fisioterapia, compartilham dicas.

Acompanhe a leitura!

O que é o beach tennis e por que está tão popular?

O beach tennis é considerado um novato entre os esportes. Ele é uma mistura do tênis tradicional com frescobol, vôlei e badminton. Com essa junção, algo novo nasceu para ser praticado nas quadras de areia niveladas.

O esporte tem várias características do tênis tradicional, que é jogado em quadras duras, saibro e grama. Por exemplo, os jogadores utilizam raquetes, bola, rede e encontram-se dentro do limite das linhas de quadra.

Mas, diferente do citado, no beach tennis o oponente não poderá deixar a bola cair na areia. Nesse aspecto, ele é semelhante ao vôlei, a bola deve passar sobre a rede sem que a mesma toque o chão.

Com a integração das atividades físicas na rotina, esse esporte teve um aumento de procura. “O ambiente [da prática] é agradável, foge um pouco da parte urbana, ficando em uma parte mais de praia, que é bem agradável”, dizem as fisioterapeutas.

Essa espécie de respiro em meio a um cenário de rush caótico das grandes cidades pode ser um dos motivos do sucesso do esporte. Além disso, os instrutores pontuam que essa iniciativa não necessita de nenhuma habilidade prévia.

Quais os benefícios da prática?

“Além dos inúmeros benefícios para a mente e para o social, existe a possibilidade de sair de um quadro de sedentarismo com uma prática muito agradável e fora do normal de uma academia”, afirmam Maria Carolina Valencise e Kiara Vieira.

Conforme elas destacam, sair do sedentarismo é uma das grandes vantagens de iniciar um esporte, principalmente um que trabalha diferentes partes do corpo. Mas os benefícios não param nesse quesito.

Confira mais benefícios!

Fortalece a concentração

O constante exercício para acertar a bola, estar posicionado corretamente e buscar estratégias é uma atividade que exercita as habilidades de foco e concentração. Na prática, o atleta trabalha técnicas que são benéficas para o esporte e para a rotina diária.

Fortifica a musculatura

A musculatura tem grande impacto com o início dessa prática. A região inferior e superior são trabalhadas fortemente. Ou seja, pernas, lombar, abdômen, quadril, ombros e braços são estimuladas durante a atividade.

Causa baixo impacto nas articulações

Engana-se quem pensa que o esporte prejudica as articulações ou que pode ser doloroso para as pessoas com dores preexistentes. Por causa do terreno em que é praticado, areia, o impacto de aterrissagens é diminuído consideravelmente.

Gera perda calórica

Muitos iniciam no esporte visando sair do sedentarismo, mas existem aqueles que buscam uma perda calórica. No beach tennis, estima-se que é possível queimar até 700 calorias durante o período de 1 hora de jogo.

Reduz o estresse

Já é cientificamente comprovado que praticar uma atividade física é benéfica para o corpo e a mente. Sair da rotina: trabalho para casa e casa para o trabalho, pode incrementar a sua saúde de inúmeras formas, além de aliviar o estresse do dia a dia.

Além dos já citados, é necessário pontuar que existem inúmeros benefícios de aliar a prática à musculação. “Para evitar lesões e ficar com o corpo preparado para a demanda do esporte é importantíssimo fortalecer os músculos”, afirmam as especialistas.

Beach Tennis

Foto: Canva.Com | Divulgação | Sou+ bem Estar

Quais cuidados é preciso ter antes de começar a praticar beach tennis?

Apesar dos diversos benefícios, o seu corpo necessita de preparação para o início de atividades físicas, principalmente se ele estiver saindo de um cenário sedentário. Antes de começar a sua atividade é necessário procurar um médico para avaliar as suas condições físicas.

“Preparar o corpo para a prática de qualquer atividade, [não apenas o] beach tennis, mas em qualquer prática de atividade física recreativa ou numa tentativa de mantê-la como algo recorrente, é preciso se preparar”, explicam as fisioterapeutas.

Além da avaliação médica inicial, é interessante ter o acompanhamento de outros profissionais, como educador físico e fisioterapeuta esportivo. Esses profissionais ajudarão a fortalecer o seu corpo, evitar lesões ou tratar dores preestabelecidas.

Quais são as lesões mais comuns no beach tennis?

Como em todos os esportes, e até nas atividades do dia a dia, as lesões podem aparecer de forma repentina. No beach tennis não seria diferente. “As lesões mais comuns são:  joelho, tornozelo e pé, por conta da instabilidade do solo”, pontuam as especialistas.

A dor lombar também pode aparecer. Ela pode ser causada pela posição do atleta no momento da partida, que é um posicionamento semi-agachado, sendo necessário que se mantenha durante o maior tempo de jogo.

De forma geral, os membros superiores podem obter tendinites, entre outras lesões, causadas pelos movimentos repetidos na prática desse esporte. Mas é possível buscar opções que previnem esses danos, com uma preparação pré, durante e pós atividade.

É possível preveni-las?

A maior parte das lesões podem ser evitáveis, de acordo com as fisioterapeutas do Instituto Trata Fisioterapia. Porém, é necessário agir com antecedência para que seja possível resguardar as suas articulações, ossos, músculos, ligamentos, dentre outros.

Nesse cenário, o alongamento é um dos movimentos chaves para evitar as lesões, não apenas para o beach tennis, mas em todas as atividades físicas e rotineiras. Esse momento está ligado ao relaxamento de inúmeros músculos e do corpo humano como um todo.

O alongamento é uma espécie de preparação do corpo para receber a atividade. Mas para que esse momento alcance o seu maior potencial é ideal que tenha a orientação de um fisioterapeuta. Ele irá avaliar de forma criteriosa a biomecânica e o gesto esportivo.

Como é o tratamento?

Ao encarar uma lesão, a primeira pergunta que aparece na mente é: como é o tratamento? Bom, existem inúmeras opções que podem estar dentro do escopo de tratamento que um profissional irá prescrever a mais adequada para o seu corpo e o tipo de contusão.

“O tratamento é interdisciplinar, entre médico ortopedista e do esporte e um fisioterapeuta especializado em ortopedia e esporte”, comentam as fisioterapeutas. O alinhamento entre os profissionais da área pode potencializar a recuperação da sua lesão.

Dependendo da lesão, o tratamento pode ser cirúrgico e precisará de uma reabilitação com um fisioterapeuta pós-cirurgia. Mas, em casos que uma intervenção dessa natureza não seja necessária, o tratamento é conservador.

Por meio de exercícios de mobilidade, fortalecimento muscular específico, treinos de propriocepção e controle motor, é possível superar essa etapa dolorosa e voltar à sua rotina diária.

É necessário pontuar que só é possível retornar às atividades após a liberação dos profissionais envolvidos no seu tratamento para evitar problemáticas mais acentuadas. Então, siga a orientação do seu time da saúde para voltar às quadras de areia.

Qual o tempo de recuperação antes de voltar a praticar o esporte?

O tempo de recuperação varia de acordo com a lesão, depende da intensidade, local e tipo de lesão sofrida. A forma de tratamento também influencia no tempo, se for cirúrgico ou conservador, em adição ainda temos prazo de recuperação de cada indivíduo.

“O fisioterapeuta sempre orienta e avalia o momento certo de retornar ao esporte. E, dependendo da lesão, não orientamos a pausa total do esporte, conseguimos fazer adaptações em relação a frequência e intensidade do treino”, finalizam Maria Carolina Valencise e Kiara Vieira.

Veja também: O melhor amigo do esportista: conheça o médico do esporte

*Dra Maria Carolina Valencise é fisioterapeuta e Diretora Clínica do Institituto Trata Itaim Bibi 

**Dra Kiara Vieira é fisioterapeuta especialista em traumatologia e ortopedia e Diretora Clínica do Institituto Trata Paulista

Sobre o autor

Portal de Notícias sobre esporte, saúde, e bem-estar. Uma fonte de Informações a partir de pesquisas científicas nas áreas de ortopedia, medicina esportiva, fisioterapia e tratamentos coadjuvantes.

Dúvidas e Comentários

Espaço para que você possa deixar suas dúvidas e comentários, que serão respondidas pelos nossos Especialistas.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Ansiedade Noturna: Psicólogo ensina estratégias para lidar com preocupações durante o sono

Descubra os sinais, origens e métodos para lidar com esse desafio

Leia mais

SBACV alerta para aumento expressivo de trombose venosa no Brasil e responde se há correlação com a vacinação de COVID-19

Sociedade reforça importância de campanhas de conscientização no país

Leia mais

Revolução silenciosa: 38% dos afastamentos nas empresas são por motivos relacionados à saúde mental

O aumento significativo é atribuído a vários fatores, incluindo o impacto contínuo da pandemia e mudanças rápidas no ambiente de trabalho

Leia mais