Saúde & Bem Estar

Ronco e Apneia do Sono: Qual a diferença?

Escrito por:Redação SO.U + Bem Estar |

Muitas vezes as pessoas não dão muita atenção a algumas doenças noturnas, como a apneia do sono. Além disso, apesar de não ser uma doença, o próprio ronco também é um ponto de atenção.

O ronco e a apneia do sono, para alguns, pode ser difícil de diferenciar. Por conta disso é importante entender cada uma delas e as possíveis complicações que podem ser causadas.

Sabendo disso, elaboramos este artigo que aborda a diferença entre ronco e apneia do sono. Aqui, você ainda vai aprender quais são seus principais sintomas, suas causas e possíveis tratamentos.

Está pronto? Então aproveite a leitura!

Qual é a diferença entre ronco e apneia do Sono?

Apesar de parecerem semelhantes, o ronco e a apneia do sono possuem diferenças consideráveis. A partir das principais características você conseguirá identificar qual é a condição que afeta você ou uma pessoa próxima.

Ronco

O ronco é um ruído provocado pelo aperto ou obstrução das vias respiratórias superiores de uma pessoa, ou seja, as cavidades nasais, a faringe e a laringe.

Uma vez entupidas, a passagem de ar por essas vias ocorre com muita dificuldade, fazendo com que aconteça uma vibração dessas estruturas aéreas e o som típico de quem tem essa condição.

Apneia do sono

Também conhecida como Síndrome de Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS), a apneia do sono é uma doença crônica que gera paradas respiratórias enquanto a pessoa está dormindo.

Essas interrupções na respiração podem acontecer de maneira parcial ou total, fazendo com que a pessoa acorde várias vezes durante a noite, apesar de, normalmente, não perceber que isso acontece.

Ronco e Apneia do Sono Qual a diferença

Quais são seus sintomas?

Apesar de serem diferentes, o ronco e a apneia do sono possuem sintomas muito parecidos. Sabendo disso, separamos cada um deles para você entender melhor.

Sensação de falta de ar ao acordar

Em casos mais severos de ronco e apneia de sono, é possível uma pessoa acordar no meio da noite sentindo uma impressão de não estar conseguindo respirar da maneira adequada ou até mesmo uma sensação de engasgo.

Perda na qualidade do sono

Devido à obstrução das vias aéreas e as paradas respiratórias, é muito comum quem possui ronco ou apneia do sono ter a qualidade de suas noites de descanso prejudicadas.

Sensação de cansaço e sonolência no dia

Uma vez que as noites de sono são prejudicadas, é comum quem possui essas condições acordar tão cansado quanto foi dormir, fazendo com que tenha a sensação de não ter descansado nada.

Por não ter uma boa noite de descanso, quem possui ronco ou apneia do sono ocasionalmente tem a sensação de sonolência, resultando em um desejo frequente de dormir.

Dificuldade de concentração e improdutividade

Em consequência da sonolência durante o dia, é natural de quem possui estas condições ter dificuldade em se concentrar em suas tarefas diárias, fazendo com que fique improdutivo.

Visto que o cérebro precisará trabalhar mais para manter o ativo, uma vez que o cansaço será maior que o usual, é comum que estas doenças causem também dores de cabeça constantemente.

Irritabilidade e depressão

Devido às noites mal dormidas, é natural que isso afete o humor de uma pessoa, ocasionando em uma irritabilidade e a falta de paciência frequente. Além do mais, também é possível desenvolver uma depressão constante, uma vez que afetará diretamente o anime de alguém.

Obesidade e Diabetes

Por afetar diretamente a produtividade de alguém, o ronco e apneia do sono podem fazer com que uma pessoa se sinta desmotivada a fazer atividades físicas, ocasionando em doenças como obesidade e diabetes.

Diminuição de libido e impotência sexual

Sendo mais comum em homens, as noites mal dormidas também podem afetar na quantidade de libido que alguém possui, fora a impotência sexual, uma vez que o descanso é essencial para que isso não ocorra.

O que causa o ronco e o que causa apneia?

Ambas as condições também possuem causas semelhantes, como a obesidade, uma vez que o excesso de tecido mole na garganta dificulta em deixá-la aberta, fazendo com que a passagem de ar seja mais trabalhosa.

Além do mais, o uso excessivo de álcool e cigarro também são causas comuns tanto para o ronco quanto para a apneia do sono. O uso destes dois entorpecentes faz com que aumente o relaxamento da musculatura da faringe durante o sono, ocasionando na obstrução das vias aéreas.

Outro fator que corrobora para essas duas condições são as congestões nasais. Pessoas que têm crises de rinite frequentemente possuem uma maior probabilidade de desenvolver apneia do sono, fora que, enquanto estão passando por elas, a chance de roncarem também aumentam.

Deformações anatômicas, como má formação na mandíbula ou até mesmo um nariz quebrado, também fazem com que alguém possa desenvolver apneia do sono ou um hábito de roncar inconscientemente.

Quem tem apneia do sono ronca?

Mesmo tendo sintomas e causas parecidas, não quer dizer que uma doença esteja sempre acompanhada da outra.

Quem ronca nem sempre é diagnosticado com apneia do sono. Porém, caso uma pessoa tenha o hábito de roncar várias noites, e principalmente se for com um ruído muito alto, isso pode ser um indício que ela possua a apneia do sono.

Já no caso de quem é diagnosticado com apneia do sono, normalmente essa pessoa também possui o costume inconsciente de roncar, sendo um dos principais motivos para a piora das suas noites de descanso.

Como saber se tenho ronco ou apneia do sono?

Primeiramente, é importante estar atento aos principais sintomas de ambas as condições. É preciso notar se você acorda com uma sensação de cansaço, se possui dores de cabeça quando desperta ou diariamente, e se tem sonolência durante o dia.

Além disso, também é necessário que peça para alguém que more com você observar se faz algum ruído enquanto dorme. Caso faça, é importante saber se muito alto ou não, para poder ter noção de ser indício de apneia do sono.

Pessoas que possuem apneia, normalmente, também se mexem muito enquanto dormem. Portanto, também é importante que observem se você tem esse costume enquanto está descansando.

Por fim, é importante que você vá em um especialista do sono, neurologistas e otorrinos. Com um acompanhamento de um profissional experiente no assunto, será possível identificar com mais facilidade qual destas duas condições você possui.

Como é possível tratar essas duas condições?

Tanto para o ranco quanto para a apneia do sono existem tratamentos. Para você entender melhor, separamos por cada condição.

Ronco

No caso ronco, ele pode ser tratado através de algumas restrições, como não comer alimentos pesados três horas antes de dormir, evitar ao máximo o consumo de álcool e cigarros. Ademais, é necessário sempre praticar atividades físicas regularmente e manter o peso em níveis adequados.

Além disso, também é importante estar atento à posição em que você dorme, uma vez que dormir de barriga para cima colabora para o ronco.

A maior recomendação é descansar de lado, uma vez que nessa posição não se corre o risco da língua cair para a garganta, deixando a via mais livre.

Em certos casos, é essencial fazer cirurgias como desvio de septo, uvulopalatofaringoplastia e adenoidectomia, principalmente se a pessoa estiver com as vias nasais muito obstruídas.

Em outras situações, é necessário fazer uma operação para corrigir uma má formação no nariz ou na mandíbula.

Apneia do sono

Já no caso da apneia do sono, caso a pessoa seja obesa, é de extrema importância que ele comece um processo de emagrecimento.

Com isso ela abrirá mais espaço na garganta para o ar passar. Também é recomendável que quem possua essa condição procure um fonoaudiólogo para reforçar os músculos da garganta.

Em casos mais leves da Síndrome de Apneia Obstrutiva do Sono, é aconselhável o uso de dilatadores de narinas, para a pessoa deixar de respirar apenas pela boca, e comece a fazer o mesmo pelo nariz.

Além disso, caso alguém possua uma mandíbula curta, a utilização de um aparelho ortodôntico também é um tratamento recomendável.

Por fim, o tratamento mais recomendável é o mecanismo chamado CPAP, onde se trata de uma máscara que cobre o nariz e a boca para jogar ar nas vias respiratórias. Este aparelho faz com que não ocorra mais paradas respiratórias e melhore a qualidade do sono.

Sobre o autor

Portal de Notícias sobre esporte, saúde, e bem-estar. Uma fonte de Informações a partir de pesquisas científicas nas áreas de ortopedia, medicina esportiva, fisioterapia e tratamentos coadjuvantes.

Dúvidas e Comentários

Espaço para que você possa deixar suas dúvidas e comentários, que serão respondidas pelos nossos Especialistas.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

5 Dicas para as empresas colaborarem com ambientes de trabalho mais saudáveis

Estudo mostra que 33% dos funcionários brasileiros têm algum tipo de transtorno mental

Leia mais

O que fazer ao encontrar dificuldades no acesso a tratamentos de saúde? Entenda!

A advogada Renata Frias, especialista em Direito da Saúde explica sobre a situação que atinge muitos brasileiros

Leia mais

Estrabismo: entenda a condição e a importância do diagnóstico ainda na infância

Comportamentos específicos podem denunciar que há́ desalinhamento entre os olhos nos primeiros anos de vida. A boa notícia é que há́ possibilidade de cura até́ os 8 anos de idade

Leia mais