Saúde & Bem Estar

Excesso de bom humor pode ser um problema

Escrito por:Redação SO.U + Bem Estar |

Altos e baixos: Não é só humor para baixo que é problema

É natural do ser humano a variação de humor. Um dia estamos contentes,com bom humor e, em outro podemos acordar tristes ou mau humorados. Mas, quando essa oscilação se torna intensa e persistente o sinal de alerta é aceso: picos de ânimo e energia seguidos de momentos de maior tédio e cansaço podem ser sinais de formas leves de transtorno bipolar.

A doença pode passar despercebida por anos, porque é comum que a família e a própria pessoa, muitas vezes justificarem alguns comportamentos (que na verdade são sintomas) alegando que a oscilação de humor vem de um “gênio forte” ou que a oscilação de energia venha de “preguiça”, levando a um diagnóstico e tratamento tardios.

Excesso de bom humor pode ser um problema

De acordo com a psiquiatra Dra. Naiayde Monte, especialista em Transtornos de Humor pela USP, o transtorno bipolar nem sempre tem sinais explícitos e é uma doença cerebral marcada pela instabilidade do humor e dos níveis de energia e disposição. “O grande problema é que quando falamos em distúrbios do humor todo mundo só lembra de humor para baixo (depressão) mas pessoas consideradas multitarefas e workaholics podem na verdade estar excessivamente aceleradas em virtude de um excesso de ativação cerebral. Porém, todo motor que acelera demais pode esquentar e parar de funcionar e depois desse excesso de ativação o cérebro passa pra fase desacelerada e o indivíduo deprime. Nesse momento busca tratamento com queixa de depressão, mas o momento anterior de excesso de humor, energia e atividade também não era normal e é justamente neste momento que o equívoco diagnóstico acontece: a pessoa é tratada como tendo apenas depressão quando na verdade tem oscilação de humor para baixo e para cima”, conta a médica.

“Há vários graus de transtorno bipolar e todos, quando corretamente diagnosticados, têm tratamento”, conta Dra. Naiayde, que reforça que o transtorno bipolar é geneticamente determinado, mas pode ser desencadeado por situações de estresse, mudanças de vida, experiências traumáticas, uso de drogas e/ou antidepressivos, medicamentos, desequilíbrio hormonal, entre outros”, conclui a psiquiatra.

FONTE: Dra. Naiayde Monte

Especialista em Transtornos do Humor, membro do PROMAN (Programa de Transtorno Bipolar da USP) e da Comissão Científica da ABRATA. Fundadora, coordenadora e preceptora do Ambulatório de Transtorno Bipolar da residência médica em psiquiatria da Universidade de Santo Amaro (UNISA/SP).

Veja também: Conheça 8 benefícios das risadas para a saúde física e emocional

Sobre o autor

Portal de Notícias sobre esporte, saúde, e bem-estar. Uma fonte de Informações a partir de pesquisas científicas nas áreas de ortopedia, medicina esportiva, fisioterapia e tratamentos coadjuvantes.

Dúvidas e Comentários

Espaço para que você possa deixar suas dúvidas e comentários, que serão respondidas pelos nossos Especialistas.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Ansiedade Noturna: Psicólogo ensina estratégias para lidar com preocupações durante o sono

Descubra os sinais, origens e métodos para lidar com esse desafio

Leia mais

SBACV alerta para aumento expressivo de trombose venosa no Brasil e responde se há correlação com a vacinação de COVID-19

Sociedade reforça importância de campanhas de conscientização no país

Leia mais

Revolução silenciosa: 38% dos afastamentos nas empresas são por motivos relacionados à saúde mental

O aumento significativo é atribuído a vários fatores, incluindo o impacto contínuo da pandemia e mudanças rápidas no ambiente de trabalho

Leia mais