Saúde & Bem Estar

Educar para a saúde

Escrito por:Redação SO.U + Bem Estar | 5 minutos de leitura

Qual o melhor esporte para a criança? Essa interrogação surge na cabeça de muitos pais. Na hora de colocar o filho para praticar esporte, qual atividade escolher?

As atividades físicas dão resultados benéficos, e a decisão de qual esporte escolher tem que ser de comum acordo entre pais e filhos, ou sugerido por um profissional da saúde. Há que se respeitar o gosto da criança e jamais obrigá-la a fazer um esporte que ela não goste. É preciso lembrar aos pais que o exercício vai desenvolver não só suas habilidades e capacidades físicas mas também influenciar o seu psicológico e interação social.

Educar para a saúde

As melhores atividades para cada faixa etária
O tipo adequado de atividade física para a criança depende de vários fatores, entre eles o objetivo dessa atividade e sua finalidade. Temos de pensar em dois pontos principais, primeiro, qual é a idade dessa criança e o desenvolvimento dela.

Entre 02 e 05 anos
Essa é uma fase de movimentos fundamentais para a criança, onde ela tenha maior descontração e liberdade possível. Correr, dançar, brincar com bolas, pedalar e natação, trabalham a coordenação, equilíbrio, ritmo, disciplina, resistência. Esses pequenos, devem realizar atividades de forma lúdica e menos intensa.

Entre 06 e 12 anos
Fase de desenvolvimento de habilidades. Devendo ser estimulado o maior número delas quanto possível. Eles, em sua maioria, gostam de atividades em equipe, mas sem preocupações com competições ou resultados pois ainda não se consideram atletas. Basquete, handebol, futebol, natação, bicicleta, golfe, artes marciais são atividades indicadas.

Entre 12 e 14 anos
As crianças começam a querer competir. Nessa faixa etária elas podem realizar levantamento de peso desde que de forma supervisionada.

Entre 14 e 16 anos
Realiza treinamentos do esporte especializado. Tem maior capacidade de desenvolver sua capacidade aeróbica e sua força muscular, para quando ele chegar nos 17, 18 anos, consiga ter uma capacidade musculoesquelética do indivíduo adulto.

Entre 16 e 18 anos
Nessa fase trabalha-se mais específico a modalidade de acordo com sua posição ou atuação na modalidade esportiva. No futebol, o lateral, por exemplo, precisa de maior agilidade, o zagueiro ter mais força nos membros inferiores, assim trabalha-se a força, a velocidade, a resistência, mas de forma específica.

Entre 18 e 20 anos
Nessa idade já trabalha com maior sobrecarga e com capacidade de atingir seu alto nível esportivo.

E se a criança não gosta de atividade física como jogar futebol. O que fazer?

Os pais tem que encorajar essas crianças a executarem outros tipos de exercícios O importante é estimular e obrigar essa criança a ter um estilo de vida ativo para que no futuro não se torne um adulto sedentário.
Passeios de bicicletas com familiares. Escalada em paredes em recintos fechados, trilhas.
Encorajamento de tempo ativo com os amigos.
Pular corda.
Jogar bola, videogames que incitam a dança, jogos esportivos, ou outros tipos de movimentos. O importante é descobrir uma atividade que a criança goste e pratique.

Referências:
Educasus

Veja também: Crianças sedentárias = Doentes do futuro

Sobre o autor

Portal de Notícias sobre esporte, saúde, e bem-estar. Uma fonte de Informações a partir de pesquisas científicas nas áreas de ortopedia, medicina esportiva, fisioterapia e tratamentos coadjuvantes.

Veja também

Riscos da divulgação de “antes e depois” de procedimentos estéticos

Cirurgião plástico Josué Montedonio adverte sobre riscos da divulgação de "antes e depois" de procedimentos estéticos

Leia mais

Preliminares: Entenda a importância para o corpo feminino

Você sabe por que uma mulher precisa de preliminares no momento do sexo?

Leia mais

Veja 4 produtos essenciais para se ter na rotina de skincare da pele madura

Entenda quais são esses produtos e o benefício de cada um deles para a pele

Leia mais