Saúde & Bem Estar

Bruxismo e estresse: qual a relação?

Escrito por:Dra. Gabriela Nolasco |

O bruxismo é conhecido como ranger dos dentes, saiba qual é a sua relação com o estresse

A Articulação Temporomandibular (ATM) está diretamente ligada às demais articulações de cabeça e pescoço, e por isso as queixas de dor são comumente localizadas nas regiões de crânio e coluna cervical, além da própria ATM. Quando existe alguma modificação na mobilidade, estrutura e na funcionalidade da articulação do pescoço, por exemplo, a ATM sofre diretamente, existindo a chance de desenvolver as Disfunções Temporomandibulares (DTMs) que são caracterizadas, por exemplo, por estalidos acompanhados de dor ao abrir e fechar a boca, sensação de ouvido tampado, zumbido persistente e restrição de mobilidade ao mastigar, bocejar e até mesmo durante a fala.

Popularmente, o bruxismo é conhecido como a condição em que existe o apertamento ou ranger dos dentes, causando dor orofacial, dor de cabeça e pescoço, uma vez que são todos relacionados. O bruxismo configura-se como um estado de saúde e não como uma DTM, por isso está diretamente relacionado aos fatores biopsicossociais do paciente.

Preocupações financeiras, de relacionamento e do dia a dia podem levar ao quadro de bruxismo, onde temos os músculos de cabeça e pescoço sendo tensionados em intensidade máxima, causando dor e desconforto gradativos, chegando em alguns casos à incapacidade funcional.

Os sintomas mais frequentes são: dor de cabeça e no pescoço, dor no rosto e nas bochechas, além de sensação de ouvido tampado ou zumbido podem estar associados, ou seja: o paciente que apresenta sinais de bruxismo pode ter uma DTM associada, mas não quer dizer que um paciente que apresenta DTM irá desenvolver o bruxismo.

Mas como a fisioterapia pode ajudar em casos assim? A reabilitação orofacial consiste em alívio de dores musculares e articulares, controle de inflamações e restauração de função motora das articulações presentes na cabeça e no pescoço. Por isso, a fisioterapia é vista hoje como sinônimo de qualidade de vida.

O acompanhamento multidisciplinar é essencial nos casos de bruxismo e DTM, visto que não acontecem de maneira isolada e são sempre acompanhados ou desencadeados por interferência biológica, psicológica e social. Os principais profissionais aliados ao fisioterapeuta são: psicólogos, psiquiatras, nutricionistas, fonoaudiólogos e cirurgiões dentistas.

A parceria com cirurgiões dentistas é caracterizada pelo feedback compartilhado entre os profissionais, a fim de evitar e identificar, quando necessário, alterações nos dentes causadas pelo bruxismo. Já com psicólogos e psiquiatras, o paciente é tratado e orientado quanto às questões pessoais e do cotidiano que podem ser fator desencadeante para o bruxismo e/ou DTMs. Fonoaudiólogos são necessários quando a DTM for responsável por dificuldades na fala e alimentação, associando o papel do nutricionista para avaliar e prescrever dieta específica para cada estágio da reabilitação.

 

Sobre o autor

Graduação em Fisioterapia pelo Centro Universitário de Belo Horizonte (2020), Pós Graduada em Fisioterapia Cardiorrespiratória pela Universidade Vale do Rio Verde, Especializada em Disfunções Temporomandibulares e Dor Orofacial pelo Instituto de Estudos em Dor Orofacial e DTM. Atualmente, é preceptora do estágio obrigatório I e II do curso de Fisioterapia da Una Linha Verde. Experiência clínica em reabilitação fisioterapêutica de disfunções musculoesqueléticas e cardiorrespiratórias.|  gabriela.mendonca@una.br@dragabrielanolasco

Veja também

Pesquisa da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular revela aumento de óbitos por AVC em relação ao IAM

O AVC é uma das principais causas de morte no mundo.

Leia mais

Anualmente, 40% das pessoas idosas sofrem quedas

Idade avançada é sinal de alerta para fratura vertebral

Leia mais

Dia do Homem: Urologista explica importância de tratamento inovador para problemas na próstata

Seis em cada 10 homens no Brasil só procuram um médico quando os sintomas estão insuportávei

Leia mais