Saúde & Bem Estar

Benefícios da respiração correta

Escrito por:Redação SO.U + Bem Estar | 5 minutos de leitura

Ganhe mais saúde respirando pelo nariz

A maneira correta de respirar é pelo nariz. A respiração bucal e nasal são dois processos fisiológicos completamente distintos. Quando respiramos pelo nariz, acionamos mecanismos que protegem nosso organismo e que não são ativados com a respiração pela boca. Por isso, a respiração bucal é um fator de risco elevado para diversas patologias, incluindo distúrbios do sono, e tem sido frequentemente correlacionada a transtornos de déficit de atenção.

Benefícios da respiração correta

Veja a importância de respirar corretamente.

Imunidade inata

O nariz aquece, umedece e purifica o ar que respiramos antes que ele entre nos pulmões. Isso acontece porque a cavidade nasal é revestida por uma membrana mucosa rica em vasos sanguíneos, que permitem ao nariz aquecer e umidificar o ar assim que ele passe por ali. Além disso, lá existem células que produzem muco e, algumas delas, contêm filamentos ciliares minúsculos (cílios).

Geralmente, o muco retém as partículas de sujeira que penetram no nariz, para serem removidas pelos cílios. Esse processo, chamado depuração mucociliar, acontece em razão da movimentação ciliar e pela produção de muco capaz de filtrar, capturar e eliminar substâncias tóxicas.

Dentre as inúmeras funções, a respiração nasal participa da imunidade inata de nosso organismo, que é uma resposta rápida, fundamental para evitar a infecção no estágio inicial. É aí que está uma das principais importâncias da respiração nasal. A cavidade sinonasal, que inclui o nariz e os quatro seios paranasais, está na linha de frente da defesa imunológica contra patógenos inalados. O revestimento epitelial sinonasal utiliza a depuração mucociliar como seu principal mecanismo de defesa física, para interceptar e limpar detritos e micróbios inalados.

Além disso, o sistema imunológico inato secreta produtos antimicrobianos no muco, para prevenir e neutralizar a infecção. Quando a defesa imune sinonasal é prejudicada, os indivíduos podem desenvolver doenças, como rinossinusite crônica.

Sem vírus e bactérias

Ao passar pelos seios paranasais, o oxigênio inalado se difunde através do epitélio nasal e pode ser usado pelas células para a produção de óxido nítrico (NO), que também é gerado em todo o corpo. Ele desempenha duas funções importantes: matar vírus e bactérias patogênicos, além de atuar como vasodilatador nas vias aéreas, artérias e capilares. Quando você respira pela boca, o ar chega aos pulmões sem o devido aquecimento, umedecimento e filtragem oferecido pelo nariz e sem os benefícios do NO.

O NO possui diversas funções:

  • Ajuda a controlar o fluxo sanguíneo;
  • Devido a seu poderoso efeito vasodilatador, o NO aumenta a captação de oxigênio, reduzindo a resistência vascular pulmonar e elevando a eficiência na oxigenação arterial;
  • Aumento da capacidade aeróbica;
  • Redução da hipertensão;
  • Aumento da sensibilidade à insulina e da tolerância à glicose;
  • Capilarização e angiogênese;
  • Participa dos processos celulares de aprendizado e memória;
  • Participa da neurogênese (processo pelo qual novos neurônios se formam no cérebro);
  • O óxido nítrico, por meio da respiração nasal, regula as funções autonômicas como frequência cardíaca, respiração, pressão arterial e digestão, juntamente com humor, ciclo do sono, equilíbrio de fluidos e reprodução.

Sobre o autor

Portal de Notícias sobre esporte, saúde, e bem-estar. Uma fonte de Informações a partir de pesquisas científicas nas áreas de ortopedia, medicina esportiva, fisioterapia e tratamentos coadjuvantes.

Veja também

Pesquisa da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular revela aumento de óbitos por AVC em relação ao IAM

O AVC é uma das principais causas de morte no mundo.

Leia mais

Anualmente, 40% das pessoas idosas sofrem quedas

Idade avançada é sinal de alerta para fratura vertebral

Leia mais

Dia do Homem: Urologista explica importância de tratamento inovador para problemas na próstata

Seis em cada 10 homens no Brasil só procuram um médico quando os sintomas estão insuportávei

Leia mais