Saúde da Criança

Dicas para garantir a segurança das crianças no uso de aplicativos

Escrito por:Redação SO.U + Bem Estar |

Nesse mundo tecnológico e de livre acesso à informação que nossas crianças vivem, uma das maiores preocupaçãos é como garantir a segurança dos filhos. Especialista, dá 4 dicas aos pais preocupadoscom a segurança cibernética de seus filhos.

Na hora de deixar as crianças na frente das telas é importante que pais e educadores se certifiquem que há quatro importantes meios que garantam a segurança das crianças. Alexandre Albert, especialista em tecnologia do grupo Sandbox Kids e a frente do desenvolvimento do aplicativo Playkids+, dá as dicas.

 

  1. Certificar-se de que o aplicativo possui seleção de conteúdo cuidadosa: A tecnologia voltada para as crianças precisa ser feita exclusivamente com conteúdo específico direcionado para cada faixa etária, isso garantindo que as crianças acessem materiais apropriados ao seu estágio de desenvolvimento;

 

  1. Controle dos pais e responsáveis: As áreas sensíveis, como configurações, login e assinatura precisam garantir que apenas os adultos possam acessá-las;

 

  1. Segurança da informação: A proteção dos dados e da privacidade das crianças é ponto chave para que a segurança de uso esteja preservada. Os aplicativos infantis precisam, necessariamente, ter essa segurança;

 

  1. Sem publicidade: Conteúdos para as crianças precisam ser livres de publicidade para que elas possam se concentrar no aprendizado e na diversão, sem interrupções indesejadas e sem nenhum incentivo ao consumo.
Dicas para garantir a segurança das crianças no uso de aplicativos

©StefanDahl via Canva.com

Toda a seleção dos conteúdos da do aplicativo Playkids+ é baseada na Base Nacional Comum Curricular (BNCC) brasileira, que serve como referência sólida para o desenvolvimento educacional no país, que define os conteúdos curriculares essenciais para cada fase do ensino. “Temos a preocupação de seguir tais orientações para assegurar que o conteúdo oferecido para as crianças esteja alinhado com os objetivos educacionais estabelecidos pelas autoridades educacionais do Brasil, esse é um diferencial nosso que garante ainda mais segurança”, alerta Alexandre.

 

Para o especialista, um dos aspectos cruciais para combater os perigos da internet é a promoção da educação digital. “É fundamental que as gerações mais jovens sejam equipadas com o conhecimento e as habilidades necessárias para navegar de forma segura e consciente na web. Isso não se limita apenas a ensinar as crianças sobre os perigos online, mas também a capacitá-las a reconhecer e evitar ameaças”, afirma.

 

Além disso, Alexandre afirma que a educação digital deve incluir a conscientização sobre os potenciais impactos emocionais e psicológicos dos crimes cibernéticos. “Devemos ensinar as crianças a lidar com situações de ciberbullying, assédio online e outras formas de abuso, bem como fornecer recursos e apoio para vítimas, quando necessário. Ao investir na educação digital e na conscientização, estamos mais bem equipados para enfrentar os desafios da era digital de maneira abrangente e ética”, finaliza o especialista.

Veja também: Playkids+: Novo aplicativo infantil é lançado hoje no Brasil

Sobre o autor

Portal de Notícias sobre esporte, saúde, e bem-estar. Uma fonte de Informações a partir de pesquisas científicas nas áreas de ortopedia, medicina esportiva, fisioterapia e tratamentos coadjuvantes.

Veja também

Lipedema: No mês de conscientização a SBACV reforça o cuidado vascular da mulher

Condição que acomete 10% da população feminina acende alerta sobre importância da informação e consultas com especialistas adequados

Leia mais

Riscos da divulgação de “antes e depois” de procedimentos estéticos

Cirurgião plástico Josué Montedonio adverte sobre riscos da divulgação de "antes e depois" de procedimentos estéticos

Leia mais

Preliminares: Entenda a importância para o corpo feminino

Você sabe por que uma mulher precisa de preliminares no momento do sexo?

Leia mais