Podcasts

A volta ao mundo de Bike – partes 1 e 2

Escrito por:Redação SO.U + Bem Estar | 3 minutos de leitura

Dar a volta ao mundo de bike, um sonho impossível?

Parte 01

Parte 02

Dar a volta ao mundo de bike, um sonho impossível? Não para o casal Flávia Vieira e Thiago Gabriel, que  passaram três anos viajando ao redor do planeta, só interromperam a viagem por causa da pandemia causada pelo novo Coronavírus.  Ele é médico patologista e ela, enfermeira e decidiram ganhar o mundo porque, ao lidarem com tantas doenças no dia a dia, sempre pensavam “a gente não sabe o dia de amanhã“. Resolveram, então, viver o sonho de dar a volta ao mundo.

Venderam tudo e, em julho de 2017, partiram de Jales (SP) rumo a Ushuaia, a cidade mais ao sul do continente, na Patagônia, Argentina, pedalando uma bicicleta de dois lugares. Levaram cerca de 2 meses para chegar. Adoraram a região. De lá, partiram para o Marrocos, de avião. Foram dois meses, explorando tudo de bike. “Foi surpreendente. Pensa-se no país como um deserto, mas ele tem montanhas e neve, outra língua”, diz dr. Thiago.

Do Marrocos, entraram na Europa pela Espanha. A partir daí, percorreram o sul europeu, os Bálcãs, Grécia, Turquia, Armênia, Albânia, Irã, ex-repúblicas soviéticas como Turcomenistão, Tajiquistão e Quirguistão. Ao longo da viagem, também passaram pela Índia. Na Ásia, foram para o Vietnã, Camboja, Laos, Tailândia e Malásia.

Ao longo desses três anos, o casal viu paisagens surpreendentes, viveu situações inusitadas, muitas aventuras e alguns perrengues. Thiago chegou a ficar doente, mas sempre foram bem-recebidos. A hospitalidade nos países mais pobres foi algo que os surpreendeu e os ajudou à vencer algumas etapas da viagem.

Dormiram em barracas no meio do deserto, tomaram banho em lugares inimagináveis , experimentaram comidas estranhas . O país que mais os surpreendeu foi o Irã, a comida mais gostosa que experimentaram foi a da Turquia, embora também tenham gostado muito da iraniana. A pior comida, diz Thiago, foi a do Tajiquistão.

Terminada a etapa asiática, foram para Nova Zelândia, que viria a ser a última escala da viagem, em consequência da pandemia. Quando estavam prestes a sair do país, em 20 de março, os voos foram cancelados e a quarentena decretada. Ficaram dois meses lá. Só conseguiram partir em um voo de repatriação organizado pelo governo brasileiro. Chegaram ao Brasil no fim de maio.

Está curioso para saber mais sobre a aventura do casal? Como se comunicavam, como faziam pagamentos, quanto gastaram e onde acampavam? Quer conhecer curiosidades dos lugares e culturas por onde passaram?

Então, ouça o podcast Sou Médico#, criado justamente para que médicos contem fatos marcantes de suas vidas. Os doutores Pedro Baches e Bruno Lee, conduzem  a inédita entrevista. A  história de Thiago e Flávia é realmente fascinante, confira  nos dois episódios #02 e #03 .

Agradecimentos:
www.clinicasou.com.br
www.drbrunolee.com.br
www.2fortrips.com

Sobre o autor

Portal de Notícias sobre esporte, saúde, e bem-estar. Uma fonte de Informações a partir de pesquisas científicas nas áreas de ortopedia, medicina esportiva, fisioterapia e tratamentos coadjuvantes.

Veja também

Lipedema: No mês de conscientização a SBACV reforça o cuidado vascular da mulher

Condição que acomete 10% da população feminina acende alerta sobre importância da informação e consultas com especialistas adequados

Leia mais

Riscos da divulgação de “antes e depois” de procedimentos estéticos

Cirurgião plástico Josué Montedonio adverte sobre riscos da divulgação de "antes e depois" de procedimentos estéticos

Leia mais

Preliminares: Entenda a importância para o corpo feminino

Você sabe por que uma mulher precisa de preliminares no momento do sexo?

Leia mais