Coluna

Coluna desalinhada: Por que ocorre e como tratar?

Escrito por:Redação SO.U + Bem Estar |

Uma das maiores queixas de dores ortopédicas é a Dor na Coluna e muitas vezes a dor ocorre devido à um desalinhamento.

Desvios na coluna podem causar dores intensas e complicações na saúde, seja na infância ou na vida adulta. A coluna desalinhada é um problema que pode comprometer severamente a qualidade de vida de uma pessoa, limitando determinadas atividades rotineiras.

Neste artigo, você descobre quando a coluna desalinhada ocorre, os principais impactos dela e como ela deve ser tratada a partir de informações do Dr. Welber Meneses. Acompanhe a leitura!

O que é uma coluna desalinhada?

Uma coluna desalinhada consiste em um aumento ou redução acentuada das curvaturas da coluna. Ou seja, são desvios que modificam a estrutura dela, consequentemente causando dores na pessoa que sofre com esse desalinhamento.

“Uma coluna ‘desalinhada’ costuma ser denominada como aquela alteração em que o paciente pode apresentar desde o nascimento, como sinônimo de escolioses, ou mesmo apresentar-se ao longo da vida por alterações posturais e/ou degenerativas — fraturas patológicas, traumas, hipotrofia muscular —, sendo esta coluna desalinhada a mais comum”, explica o Dr. Welber Meneses.

A coluna vertebral é composta por vértebras distribuídas em todo o tronco humano, sendo responsável por manter a postura e o equilíbrio corporal.

Ao ser olhada de frente, a coluna vertebral não possui curvaturas. No entanto, ao ser vista de lado, é possível visualizar curvaturas fisiológicas na região do pescoço, do tórax, da cintura e da bacia. Estas são curvaturas normais e surgem naturalmente no corpo humano, como parte do processo de adaptação do corpo a diferentes fases do desenvolvimento motor.

Contudo, curvaturas diferentes das citadas acima, podem indicar prejuízos na coluna e, consequentemente, no bem-estar do paciente.

Coluna desalinhada Por que ocorre e como tratar

Quais os principais desvios da coluna?

Os principais desvios da coluna são: cifose, lordose e a escoliose. Com características e sintomas próprios cada um deles, quando tratados, podem representar apenas desvios leves, sem prejudicar tanto o indivíduo.

Cifose

A cifose é um desalinhamento da coluna que acontece quando as vértebras se curvam para trás, causando o que popularmente identificamos como “corcunda”. Nestes casos, a pessoa fica com os ombros caídos para frente.

Os principais sintomas da cifose, são:

  • Aparência corcunda;
  • Dor na região superior das costas;
  • Dificuldade para manter o corpo reto;
  • Fraqueza ou formigamento nos braços e pernas;
  • Dificuldade para respirar.

Lordose

Na lordose, as vértebras da coluna lombar ou cervical voltando-se para dentro, fazendo com que o pescoço fique mais alongado e projetado à frente do corpo. No caso da lordose lombar, a região pélvica fica mais para trás e o abdômen mais para a frente.

Os principais sintomas da lordose, são:

  • Dor no fundo das costas;
  • Diminuição da movimentação da coluna;
  • Abdômen mais fraco.

Escoliose

Um dos tipos de desalinhamento da coluna mais comum, a escoliose acontece quando as vértebras da coluna torácica se desviam lateralmente, formando um C ou S. A escoliose pode afetar a cervical, a dorsal ou a lombar, podendo ser um problema de nascença que necessita de cirurgia para correção.

Os principais sintomas da escoliose, são:

  • Ombro mais alto que o outro;
  • Dor muscular;
  • Sensação de fadiga nas costas;
  • Uma perna mais curta que a outra;
  • Um lado do quadril mais alto que o outro.

Quais as causas mais comuns da coluna desalinhada?

A coluna desalinhada nem sempre tem uma causa específica, inclusive existem casos em que a criança já nasce com o desvio devido a uma má formação do embrião. Contudo, a maioria dos casos está relacionado a problemas de posturas ou outras doenças graves.

Além disso, existem costumes comuns à atualidade que também estão começando a chamar atenção como possíveis causas para o desalinhamento da coluna, como é o caso do home office.

“Uma causa muito comum também hoje em dia de uma coluna desalinhada é o tempo prolongado em que vivemos após a pandemia com o home office por falta de fortalecimento da coluna e tempos prolongados na mesma posição”, aponta o Dr. Welber.

Quais as consequências e como elas podem afetar a qualidade de vida?

 Pequenos desvios na coluna nem sempre são graves, podendo ter como consequência apenas a dor nas costas em determinadas situações, como quando alguém fica muito tempo em pé ou sentado e acaba sentindo desconforto.

No entanto, existem casos mais graves em que o desalinhamento é visível a olho nu e causam dor intensa. Nestes casos mais preocupantes, o desalinhamento da coluna pode trazer sintomas como fraqueza muscular, formigamento ou queimação.

Pacientes que apresentam estes sintomas estão mais sujeitos a desenvolver hérnias de disco e bicos de papagaio.

“As consequências estão associadas e intimamente relacionadas a cada patologia e ao grau em que se encontram. Quadros constantes de dores e alterações na rotina do paciente faz com que isso prejudique o dia-a-dia e o próprio rendimento e qualidade de vida. É de extrema importância evitar que chegue nesse ponto”, alerta o médico.

Como diagnosticar uma coluna desalinhada?

O diagnóstico da coluna desalinhada é feito a partir da avaliação do médico, que avalia o pacientemente desde a chegada ao consultório como também durante a Anamnese e do Exame Físico.

“A avaliação durante a inspeção nos direciona quais os sinais mais intimamente relacionados às deformidades ou mesmo apenas alterações posturais. Os exames de imagem, radiografias, tomografias computadorizadas, ressonância nuclear magnética e cintilografia, apenas complementam a avaliação médica”, explica o Dr. Welber.

A procura pelo médico é normalmente feita a partir do incômodo sentido pelo próprio paciente. Em casos associados à escoliose é comum outras pessoas indicarem ao paciente e perguntarem sobre o desvio após algum momento de observação da postura.

“Nos casos relacionados ao longo da vida é mais comum o próprio paciente queixar-se de dor muscular de maneira assimétrica, desvio ao avaliar-se perante o espelho ou mesmo incômodo ao tentar permanecer em posturas mais adequadas. A avaliação de um profissional médico é de extrema importância quando se trata de um desalinhamento relacionado à escoliose e quando essa alteração prejudica o dia-a-dia e está relacionado à dor”, complementa.

Quais os tratamentos para a coluna desalinhada?

O tratamento da coluna desalinhada depende de cada caso, inclusive do nível de sintomas sentidos pelo paciente.

O objetivo do tratamento é interromper a progressão do transtorno, recuperar as funções da coluna vertebral e aliviar os sintomas

De acordo com o Dr. Welber, “s métodos mais comuns e mais efetivos partem da Fisioterapia, Cinesioterapia, Reeducação Postural Global (RPG) e Pilates. “Porém, nenhum método de tratamento é efetivo se não houver a própria consciência postural de cada paciente. É a consciência de que precisa melhorar a sua postura para manter sua coluna alinhada”, detalha.

Por isso, a fisioterapia é uma forma de ajudar inicialmente o paciente a ter uma coluna alinhada a partir da avaliação estática e dinâmica. Ela também é uma maneira de avaliar a questão do condicionamento que cada paciente possui para iniciar atividades para otimizar a postura, seja durante atividades físicas, durante o trabalho e também no dia-a-dia.

Apesar das possibilidades de tratamento, é importante ressaltar que o melhor caminho é sempre prevenir a coluna desalinhada, evitando dores e possíveis complicações que o quadro pode trazer.

Por isso, o cuidado com a coluna deve ser uma prática adotada desde cedo, evitando desgastes que tragam problemas futuros. Entre estes cuidados destacam-se:

  • Manter o peso corpóreo dentro dos padrões ideais para a altura e idade;
  • Evitar o sedentarismo;
  • Adotar uma alimentação saudável;
  • Ter cuidado ao transportar objetos pesados;
  • Escolher cuidadosamente o tipo de calçados e a altura dos saltos;
  • Evitar automedicação;
  • Buscar ajuda médica sempre que necessário.

“A prevenção de uma coluna desalinhada parte da melhora da consciência postural, exercícios físicos com ênfase na musculatura estabilizadora da coluna, alongamentos diariamente antes de iniciar atividades físicas ou mesmo ao acordar ‘ativando’ as fibras musculares e ligamentos, evitar tempo prolongado (mais do que 60 minutos) na mesma posição sentado ou mesmo em ortostase (de pé), hidratar-se bem para manter as funções fisiológicas e uma boa qualidade de sono para haver o descanso necessário do nosso organismo”, finaliza o Dr. Welber.

 

*Dr. Welber Meneses é  Médico com subespecialização em cirurgias da coluna vertebral e deformidades, Formado pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e Especialista em Traumatologia e Ortopedia pela Santa Casa de Misericórida de Santos.

 

Veja também: Assimetria das Mamas. Mês da Escoliose

Sobre o autor

Portal de Notícias sobre esporte, saúde, e bem-estar. Uma fonte de Informações a partir de pesquisas científicas nas áreas de ortopedia, medicina esportiva, fisioterapia e tratamentos coadjuvantes.

Dúvidas e Comentários

Espaço para que você possa deixar suas dúvidas e comentários, que serão respondidas pelos nossos Especialistas.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Ansiedade Noturna: Psicólogo ensina estratégias para lidar com preocupações durante o sono

Descubra os sinais, origens e métodos para lidar com esse desafio

Leia mais

SBACV alerta para aumento expressivo de trombose venosa no Brasil e responde se há correlação com a vacinação de COVID-19

Sociedade reforça importância de campanhas de conscientização no país

Leia mais

Revolução silenciosa: 38% dos afastamentos nas empresas são por motivos relacionados à saúde mental

O aumento significativo é atribuído a vários fatores, incluindo o impacto contínuo da pandemia e mudanças rápidas no ambiente de trabalho

Leia mais