Estética

Proteja-se: O que você precisa saber sobre o peeling de fenol

Escrito por:Redação SO.U + Bem Estar |

Quais os riscos reais? Há pessoas que não devem fazer o procedimento? Como saber se escolheu o profissional certo? Médicas dermatologistas revelam tudo sobre o tratamento contra o envelhecimento da pele

O peeling de fenol, que viralizou nas redes sociais e essa semana ganhou ainda mais destaque por conta da morte do empresário Henrique Silva Chagas, após realizar o procedimento na segunda-feira (3), em São Paulo. Está longe de ser um tratamento novo para rejuvenescimento da pele, a comunidade de dermatologia já trabalha com a técnica há décadas no Brasil e o consenso é que o procedimento deve ser feito com sedação ou anestesia em hospitais ou clínicas com setup de centro cirúrgico.

O tratamento pode levar de 30 minutos a duas horas (dependendo da extensão da área desejada). Comumente causa dor durante a aplicação e também na recuperação, que dura até 30 dias com vermelhidão e sensibilidade, necessitando máxima proteção contra a luz solar. Em geral, de 3 a 6 meses após uma única sessão, pacientes podem observar uma pele rejuvenescida, com redução de rugas, manchas e flacidez.

Riscos do peeling de fenol

A Dra. Camila Dezanetti, Dermatologista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), conduz tratamentos com a substância fenol há anos e lista os principais problemas que podem advir de uma aplicação incorreta:

  • alterações de coloração da pele
  • discromias definitivas
  • piora de manchas em pacientes que têm melasma
  • infecções por herpes, vírus e bactérias
  • alergias graves
  • cicatrizes
  • arritmias
  • efeitos renais
  • efeitos hepáticos e até morte.

“O fenol, se usado em concentrações acima do permitido e em aplicações agressivas ou incorretas pode causar danos à pele, complicações estéticas e até intercorrências mais graves”, alerta a médica.

Quem não deve fazer tratamento com fenol?

Também dermatologista, a Dra. Viviane Scarpa, já alerta: “Pessoas com este perfil não devem fazer tratamento com fenol”:

  • pacientes de pele escuras
  • grávidas
  • mulheres que amamentam
  • pacientes com insuficiência renal ou hepática
  • pacientes com arritmias cardíacas

“Fora isso, é necessária uma consulta minuciosa antes da indicação do procedimento, para alinhar as expectativas do paciente, conversar sobre os possíveis efeitos colaterais e dos cuidados pós”, enfatiza a médica.

Ela informa que, dada a seriedade do procedimento, é preciso realizar profilaxia para herpes, uso de analgésicos orais para controlar a dor e extremo cuidado nos curativos iniciais.

Proteja-se O que você precisa saber sobre o peeling de fenol

©Изображения пользователя Yauhen Akulich via Canva.com

Lugar certo para fazer o procedimento

Hospitais ou clínicas com configuração de centro cirúrgico são os únicos ambientes onde se deve fazer o peeling de fenol, segundo Dra. Maria Paula Del Nero, dermatologista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

“O paciente deve saber que o médico a fazer o procedimento deve solicitar exames cardiológicos e renais para saber se a intervenção deve acontecer”, ensina ela, complementando que a clínica deve ter regulamentação da Anvisa, além de desfibrilador e material de primeiros socorros.

“O fenol é um ácido, também conhecido como ácido carbólico, um composto orgânico que consiste em um anel de benzeno (um anel de seis carbonos ligados alternadamente por ligações simples e duplas) com um grupo hidroxila (-OH) ligado a um dos carbonos do anel”, detalha a dermatologista, explicando que esse composto tem a capacidade de remover a epiderme e parte da derme, daí a seriedade necessária para lidar com o fenol.

Veja também: Cuidados com a pele no outono

Fontes:

Dra. Camila Baioni Garcia Dezanetti |CRM Pr 30216 | RQE 15558 |Formada pela Faculdade de Medicina de Jundiai (FMJ),Título de especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD),Pós- graduação pela Sociedade Brasileira de Medicina Estética (SBME), Título de especialista em Clínica Médica pela Sociedade Brasileira de Clínica Médica (SBCM), Professora do curso de Medicina da Universidade de Pato Branco (Unidep) e Pós- graduação em doenças do cabelo e couro cabeludo STAFF do curso para médicos COSMIATRY FOR DOCTOR.

Dra. Viviane Scarpa | CRM 118.129-SP | RQE 30.536 | Médica Formada pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas em 2004. Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia em 2009. Pós-Graduação em Nutrologia pela ABRAN em 2017. Curso de Extensão em Tricologia pela Tricomed em 2019. Tem consultório na cidade de São Paulo desde 2010.

Dra. Maria Paula Del Nero | CRM-SP: 74.594 / RQE: 103.535 |Formada em 1991 pela Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto-UNESP; Estágio em Dermatologia no Hospital Darcy Vargas; Título de especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia; International Fellow da Academia Americana de Dermatologia; Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica; Diretora da Clínica Healthy Dermatologia desde 2001.

 

Sobre o autor

Portal de Notícias sobre esporte, saúde, e bem-estar. Uma fonte de Informações a partir de pesquisas científicas nas áreas de ortopedia, medicina esportiva, fisioterapia e tratamentos coadjuvantes.

Veja também

Lipedema: No mês de conscientização a SBACV reforça o cuidado vascular da mulher

Condição que acomete 10% da população feminina acende alerta sobre importância da informação e consultas com especialistas adequados

Leia mais

Riscos da divulgação de “antes e depois” de procedimentos estéticos

Cirurgião plástico Josué Montedonio adverte sobre riscos da divulgação de "antes e depois" de procedimentos estéticos

Leia mais

Preliminares: Entenda a importância para o corpo feminino

Você sabe por que uma mulher precisa de preliminares no momento do sexo?

Leia mais