Ortopedia

Sua coluna está desalinhada?

Escrito por:Dr. José Thiago Portela Kruppa | 3 minutos de leitura

Primeiros sintomas são leves, mas podem evoluir até para outras partes do corpo

A coluna vertebral, como se sabe, é composta de vértebras que se estendem da pelve à parte superior do tronco. Responsável por manter a postura e o equilíbrio, a coluna fornece estabilidade e sustenta a metade superior do corpo humano. Portanto, qualquer tipo de desalinhamento da coluna pode afetar igualmente outras regiões do corpo. A coluna normal não tem curvaturas quando se olha de frente, mas possui curvas fisiológicas (normais) quando olhada de lado, que são a lordose (no pescoço e lombar) e a cifose (no tórax).

Na prática, o alinhamento da coluna saudável vai além da postura correta – ele ajuda a prevenir muitos outros problemas que podem aparecer a longo prazo, em casos de desalinhamento. E esses problemas certamente impactarão na qualidade de vida das pessoas.

Diagnóstico

O desalinhamento de coluna, não raro, é diagnosticado pelo próprio paciente. Não exatamente através de dores lombares, que em parte dos casos podem desaparecer em algumas poucas semanas, com o uso de analgésicos e anti-inflamatórios. Mas basta a pessoa olhar no espelho para observar que, sim, está com problemas posturais (ex: ombros caídos, “corcunda”, etc).

A postura correta consiste em ombros alinhados, sem assimetrias da cintura e tórax, olhando de frente; e pescoço na mesma linha do quadril, olhando de lado, mantendo as curvaturas fisiológicas (cifose e lordose) congruentes. Ortopedistas e fisioterapeutas conseguem identificar os pacientes que não seguem esses padrões a partir de testes. Assim, é definido o melhor tratamento para cada caso. Antes disso, porém, é melhor evitar o problema: uma alteração em uma determinada região da coluna vertebral quase sempre resulta em mudanças em toda a coluna, como “compensação” para que a posição do tronco e o equilíbrio sejam preservados.

Sintomas

Quando a coluna está desalinhada, ao longo do tempo o corpo vai emitindo sinais de que algo não vai bem – e não falamos aqui apenas de “dores nas costas”, que no princípio geralmente são bem leves. Isso se dá porque junto às vértebras existem estruturas nervosas vitais – os nervos, que ligam a medula espinhal aos músculos do corpo humano, e que vão do tronco às pernas. O que acontece a partir do desalinhamento é um efeito em cadeia de sintomas variados. E o mais surpreendente é que esses sintomas não se resumem a incômodos e dores locais, podendo ser extremamente diversificados, chegando inclusive aos pés – literalmente.

Má postura (ou falta de consciência postural), sedentarismo, obesidade, tabagismo, envelhecimento, hereditariedade, distúrbios advindos da profissão (como agachar e/ou levantar peso excessivo com frequência), carregar mochilas pesadas – crianças também estão sujeitas – figuram entre os fatores de risco para o desalinhamento de coluna. Além de dores, os primeiros sinais de desalinhamento de coluna envolvem também desconforto ao sentar, ficar de pé ou mesmo deitar; sensação de formigamento nos pés (eventualmente, também nas mãos); excesso de fadiga; e até um pé de sapato gasto muito tempo antes do outro (devido ao caminhar irregular).

O desalinhamento de coluna pode acarretar:

  • dores e incômodos contínuos na coluna;
  • dores de cabeça;
  • dores no pescoço, joelho e quadril;
  • mobilidade reduzida: desconforto em alguns movimentos, e até ao caminhar;
  • problemas no nervo ciático;
  • problemas respiratórios;
  • fratura de vértebras.

É importante observar que bons hábitos no dia a dia, como cuidar da postura corporal (inclusive ao dormir) e aprender a pegar pesos corretamente, entre outros, podem a longo prazo fazer a diferença na preservação da saúde da coluna.

Sobre o autor

Dr. José Thiago Portela Kruppa - Ortopedista e Cirurgião de Coluna pela Santa Casa de São Paulo Especialista em deformidades da coluna vertebral Médico do Grupo de Coluna da Escola Paulista de Medicina Chefe do Grupo de deformidades da coluna do Hospital Geral de Guarulhos Cirurgião de Coluna da Clínica SO.U

Dúvidas e Comentários

Espaço para que você possa deixar suas dúvidas e comentários, que serão respondidas pelos nossos Especialistas.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Artroscopia de Quadril: entenda o que a técnica cirúrgica pode tratar

Neste artigo, o Dr. Leandro Ejnisman, especialista em ortopedia e traumatologia, esclarece as principais dúvidas a respeito desse método inovador

Leia mais

Os benefícios da prática de natação pós Covid-19

A Dra. Giovanna Sperandio discorre a respeito desse assunto

Leia mais

Maio Amarelo: prevenção é a palavra-chave

Os médicos ortopedistas Dr. Pedro Baches Jorge e Dr. Bruno Takasaki Lee falam a respeito da prevenção de lesões causadas por má-postura ao volante

Leia mais