Saúde & Bem Estar

Pele mais Jovem

Escrito por:Redação SO.U + Bem Estar |

Especialista tira dúvidas sobre rejuvenescimento facial e uso de colágeno

Ainda não encontramos a fonte da juventude. Mas a ciência tem encontrado novas fórmulas e tratamentos para conseguirmos nos manter com a aparência cada vez mais jovem. Entre eles, frequentemente ouvimos dizer sobre o uso do colágeno. A substância, produzida naturalmente pelo corpo, é a proteína responsável por garantir a firmeza e a elasticidade da pele.

Importante para a prevenção do aparecimento de estrias, rugas, linhas de expressão e, até mesmo, para a saúde dos cabelos e unhas, há diferentes formas de tratamento que utilizam o colágeno.

Para entendermos melhor sobre o processo de envelhecimento da pele e o uso da substância, a dermatologista, Dra. Vivian Loureiro, respondeu algumas das principais dúvidas.

  1. Qual a relação entre o envelhecimento e a perda de colágeno?
    Com o passar dos anos, ocorrem dois processos: diminuição da produção de colágeno e aumento da sua destruição. Ou seja, há uma queda progressiva da quantidade de fibras de colágeno e, com isso, perda da firmeza e da elasticidade da pele.
  2. Existe uma idade ideal para o início do tratamento?
    A perda de colágeno começa por volta dos 25 anos e gira em torno de 1% ao ano. Essa taxa mais que dobra após a menopausa. Pensando a longo prazo e no tratamento preventivo, sugerimos iniciar os procedimentos para estímulo de colágeno a partir dos 30 anos de idade.

Pele mais Jovem

  1. O colágeno é essencial para o rejuvenescimento da pele?
    O colágeno é uma proteína que está presente em várias estruturas do corpo, como pele, articulações, tendões e músculos. As fibras de colágeno dão sustentação e suporte às células. Na pele, o colágeno mantém a firmeza, a elasticidade e a resistência da pele. Com o envelhecimento e a perda de colágeno, a pele vai perdendo o tônus e se torna mais fina e mais flácida. Portanto, estimular a produção de colágeno é fundamental para envelhecermos bem.
  2. É possível encontrar o colágeno em diversos formatos. A ingestão oral de colágeno, em balas, por exemplo, é eficaz?
    A suplementação oral de colágeno parece ser benéfica. Existem estudos científicos que mostram que tomar colágeno estimula as nossas células a produzirem fibras de colágeno. Normalmente, essa suplementação é feita com pó, que deve ser diluído em água ou suco, ou em cápsulas. A quantidade de colágeno presente em balas, por exemplo, é muito pequena e, por isso, não é eficaz. Teríamos que ingerir um número muito grande de balas para alcançar a quantidade mínima necessária.
  3. Como é feito o tratamento para produção de colágeno?
    Existem tratamentos que estimulam a produção, tais como laser, radiofrequência, ultrassom microfocado e bioestimuladores. Além disso, se proteger do sol e ter hábitos de vida saudáveis, como não fumar e ter uma dieta equilibrada, reduzem a degradação de colágeno.
  4.  Em quanto tempo de uso é possível observar os resultados?
    A maioria dos procedimentos que estimulam colágeno não trazem resultado imediato. Existe uma contração imediata das fibras que dura de 24 a 48 horas, mas que é transitória. Chamamos isso de “Efeito Cinderela”. A produção de novas fibras de colágeno leva tempo e, por isso, normalmente os resultados começam de 1 a 2 meses após o tratamento.

Veja também:Você sabe o motivo da coceira após o banho?

Sobre o autor

Portal de Notícias sobre esporte, saúde, e bem-estar. Uma fonte de Informações a partir de pesquisas científicas nas áreas de ortopedia, medicina esportiva, fisioterapia e tratamentos coadjuvantes.

Veja também

Importância de cuidar da saúde e evitar doenças

Especialista explica a importância de cuidar da saúde e evitar doenças e falta de qualidade de vida

Leia mais

Lipedema: No mês de conscientização a SBACV reforça o cuidado vascular da mulher

Condição que acomete 10% da população feminina acende alerta sobre importância da informação e consultas com especialistas adequados

Leia mais

Riscos da divulgação de “antes e depois” de procedimentos estéticos

Cirurgião plástico Josué Montedonio adverte sobre riscos da divulgação de "antes e depois" de procedimentos estéticos

Leia mais