Saúde & Bem Estar

Mês da mulher: os cuidados necessários em cada fase da vida

Escrito por:Redação SO.U + Bem Estar |

Dicas de cuidados da saúde feminina em cada fase da vida.

Durante muitos anos, a saúde feminina foi condicionada ao planejamento familiar, como partos e assuntos ligados à fertilidade de maneira geral. Nesse sentido, médicos, governantes e até familiares não se atentaram aos outros aspectos da realidade da mulher.

Além disso, a inserção das mulheres em políticas públicas que visavam o cuidado com a saúde só veio acontecer no início do século passado. Ou seja, podemos considerar que esta é uma preocupação recente.

Após esse pontapé inicial, foi possível avançar nos cuidados relacionados às mulheres e crianças — evolução que é constante. Assim, com o passar dos anos foi possível discutir direito reprodutivo e liberdade sexual. No entanto, ainda há um longo caminho pela frente.

Pensando nisso, neste artigo você poderá saber mais a respeito dos cuidados necessários para cada etapa da vida feminina. Também conhecerá mais sobre as principais dicas para manter a saúde em dia. Aproveite a leitura!

Quais são os cuidados iniciais que devemos ter?

Existem diversos aspectos que são fundamentais para a saúde da mulher. Visitas regulares ao ginecologista estão entre as principais. Por isso, elas devem ser normalizadas como forma de prevenção e detecção precoce de possíveis patologias malignas.

Desse modo, o primeiro cuidado ginecológico deve ser feito por volta de 9 anos. Com esta idade já é possível receber uma dose de vacina contra o HPV (Papilomavírus Humano) — visto que ele pode ser o causador de câncer no sistema reprodutor feminino.

Além disso, a prevenção deve fazer parte do vocabulário de todos e a máxima “com saúde não se brinca” deve ser seguida à risca. Portanto, é necessário ressaltar que, para as mulheres que não receberam a vacina contra o HPV antes dos 10 anos, é possível conseguir a imunização até os 26.

Por sua vez, a ida ao médico ginecologista para acompanhamento do ciclo menstrual pode ser feita a partir da menarca. A prática também é importante para a educação sexual.

Ademais, até os 25 anos é recomendado que as consultas aconteçam de forma anual. Com essa frequência é possível identificar, precocemente, algum desarranjo físico ou hormonal.

Isso acontece porque as infecções no sistema reprodutor feminino são sorrateiras e podem trazer grandes prejuízos para a saúde da mulher. Assim, é preciso ter atenção a quaisquer modificações que fujam da normalidade do seu corpo.

Dessa maneira, os sinais que merecem atenção especial são:

  • Incômodo ou dor ao urinar;
  • Desconforto durante a relação sexual;
  • Corrimento não comum com mau cheiro;
  • Coceira na vagina;
  • Feridas;
  • Verrugas;
  • Aspecto irritado na pele da região afetada;

A apresentação de um desses sintomas requer uma consulta com especialistas o mais rápido possível. Nos demais casos, basta criar uma regularidade para as visitas.

Quais são os cuidados que as mulheres devem ter em cada fase da vida?

Como você viu, o cuidado com a saúde é indispensável. No entanto, é possível que os pontos de atenção mudem de acordo com a idade e fase da vida dela. Confira:

Dos 25 aos 30 anos

Além da visita anual ao ginecologista para fazer exames básicos, é recomendado que a mulher passe a fazer o chamado “Papanicolau”.  Esse exame faz a coleta de células presentes no útero para ser analisada posteriormente em um laboratório.

Por meio dessa verificação é possível identificar a presença de câncer no colo do útero entre outras doenças. O seu principal objetivo é prevenir contra esse mal e identificá-lo de forma precoce.

Nas consultas também deverão ser verificadas as mamas da paciente, surgindo alguma alteração palpável o médico pedirá exames adicionais para descartar possíveis anomalias.

Dos 30 aos 40 anos 

Além de continuar com a rotina de exames preventivos, é necessário, em alguns casos, inserir a mamografia entre eles. A verificação das mamas também deve ser feita de forma anual. Essa medida tem como principal objetivo identificar a presença do câncer que mais mata mulheres no Brasil.

Para este exame é recomendado que seja feito a partir dos 40 anos, mas poderá ser indicado para pessoas mais jovens, de acordo com o histórico familiar do indivíduo.

Este procedimento não é recomendado para mulheres muito jovens, pois a densidade das mamas poderá causar dificuldade na interpretação das imagens.

Nessa faixa etária também é indicado a verificação de cálcio, colesterol, glicose e vitamina D. Essa identificação pode ser feita por meio de um hemograma, conforme indicação médica.

A partir de 40 anos

Nessa fase da vida a mulher poderá iniciar a apresentação de sintomas relacionados à menopausa ou climatério.

A etapa é responsável por causar um desequilíbrio hormonal na mulher, ou seja, os níveis de progesterona e estrogênio diminuem drasticamente.

Assim, pode ser interessante manter o acompanhamento regular para lidar com transformações da maneira mais saudável possível.

De maneira mais geral, a manifestação do climatério inicia-se entre 45 e 55 anos, mas não é uma regra a prova de falhas.

Entre seus principais sintomas é possível destacar:

  • Menstruação flutuante;
  • Ondas de calor;
  • Insônia;
  • Dor e ausência de libido;
  • Modificações de comportamento.

Vale ter em mente que eles podem ser diferentes em cada mulher. No entanto, a atenção a eles é fundamental.

Quais são as principais doenças que atingem o sexo feminino?

Entendeu os principais aspectos referentes à saúde da mulher? Nesse sentido, também é importante ressaltar que existem doenças que se apresentam de forma mais comum nas mulheres.

Elas podem ser causadas por mudanças hormonais ou por conta da rotina de trabalho e vida pessoal. Dentro desse grupo estão:

  • HPV, podendo evoluir para câncer de colo do útero;
  • Câncer de mama;
  • Depressão;
  • Osteoporose;
  • Varizes.

Conforme dito anteriormente, a visita regular a um médico especializado é imprescindível para a prevenção ou tratamento de doenças.

Quais as dicas para cuidar da saúde feminina?

Cada pessoa tem as suas especificidades, seja em relação a saúde física ou mental. Entretanto, existem ações que contribuem para uma melhor qualidade de vida em mulheres.

A prática regular de atividades físicas junto de uma alimentação balanceada é fundamental. Assim, é possível manter a saúde em melhores condições.

Outro aspecto que não pode ser ignorado é a saúde mental. Por isso, é interessante fazer terapia e alinhar o corpo e a mente por meio da yoga, por exemplo.

Para mulheres sexualmente ativas, o uso dos preservativos é fundamental. Por fim, é fundamental estar atenta aos sinais do corpo.

 

 

 

Sobre o autor

Portal de Notícias sobre esporte, saúde, e bem-estar. Uma fonte de Informações a partir de pesquisas científicas nas áreas de ortopedia, medicina esportiva, fisioterapia e tratamentos coadjuvantes.

Dúvidas e Comentários

Espaço para que você possa deixar suas dúvidas e comentários, que serão respondidas pelos nossos Especialistas.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Artroscopia de Quadril: entenda o que a técnica cirúrgica pode tratar

Neste artigo, o Dr. Leandro Ejnisman, especialista em ortopedia e traumatologia, esclarece as principais dúvidas a respeito desse método inovador

Leia mais

Os benefícios da prática de natação pós Covid-19

A Dra. Giovanna Sperandio discorre a respeito desse assunto

Leia mais

Maio Amarelo: prevenção é a palavra-chave

Os médicos ortopedistas Dr. Pedro Baches Jorge e Dr. Bruno Takasaki Lee falam a respeito da prevenção de lesões causadas por má-postura ao volante

Leia mais